MARÇO DE 2018

Mercados emergentes: de olho nas reformas

As reformas econômicas continuam sendo fundamentais nos esforços dos países emergentes rumo a uma transição bem-sucedida entre economias industriais de baixos salários e sistemas de consumo com mão de obra especializada.

Para essas economias e investidores, a transição pode levar a um maior crescimento econômico e ganhos futuros mais sólidos, além de um crescimento estrutural e duradouro em relação aos concorrentes. Analisaremos aqui o momentum de reformas em quatro países: Brasil, Indonésia, Índia e China. Também faremos uma previsão da agenda de reformas pós-Zuma na África do Sul.

  • A expansão econômica global e avaliações razoáveis embasam nossa preferência atual por ações com overweight em mercados emergentes.
  • Reformas econômicas são um componente essencial do crescimento econômico e do desenvolvimento futuro de muitos mercados emergentes, além de garantir um monitoramento rigoroso.
  • Entre os mercados emergentes que escolhemos estão Brasil, Indonésia, Índia e China. Descrevemos os esforços de reforma desses países abaixo. Também vale a pena acompanhar as melhorias políticas positivas da África do Sul.
Paragraph-2
Paragraph-3
Paragraph-4
Paragraph-5
Paragraph-6

Brasil: instabilidade política e fiscal

A alternância no Brasil entre governos reformistas e populistas demonstra a importância de reformas econômicas. O ciclo de reforma anterior, que começou em 1994 sob a liderança do presidente Fernando Henrique Cardoso, conseguiu estabilizar a economia, pondo fim a expectativas inflacionárias extremas. Nos anos seguintes, que também coincidiram com preços de commodities mais sólidos, os mercados de ações brasileiros tiveram um desempenho amplamente superior entre os mercados emergentes.1 As políticas populistas dos presidentes Lula e Dilma Rousseff nos anos seguintes eliminaram esses ganhos, uma vez que reformas favoráveis ao mercado foram substituídas por políticas macroeconômicas incoerentes e promessas fiscais insustentáveis, o que acabou culminando em uma profunda recessão estagflacionária. O presidente Michel Temer deu esperança aos investidores após a rápida promulgação de leis trabalhistas ao adotar uma agenda de reforma microeconômica, buscando a sustentabilidade fiscal com um congelamento das despesas públicas nos próximos 20 anos.2

No entanto, o limite de gastos não é suficiente para colocar a situação fiscal do Brasil plenamente nos eixos; para tanto, será necessário aprovar a reforma da previdência social. As pensões comprometem cerca de 45% das despesas totais e continuam crescendo 5% ao ano em termos reais.3 Nesse ritmo, os gastos com a previdência no Brasil consumirão todo o orçamento fiscal até 2030.4 A posição cíclica favorável do Brasil, com aceleração do crescimento econômico, condições financeiras com poucas restrições e inflação baixa, compensou as expectativas de declínio do mercado em relação a mais reformas previdenciárias antes das eleições de outubro de 2018. Contudo, o Brasil terá de se concentrar no sistema previdenciário em breve; só assim será possível frear esse ciclo fiscal insustentável e, quem sabe, diminuir os juros neutros. Essa reforma também pode ajudar a elevar o PIB em potencial com mais investimentos e crescimento da produtividade. As eleições de outubro podem complicar o cronograma das reformas, mas certamente não a necessidade nem os benefícios que elas trarão aos investidores.

Brasil vs. Mercados Emergentes

Brasil vs. Mercados Emergentes

Fonte: Thomson Reuters, fevereiro de 2018. O gráfico à esquerda compara o desempenho relativo do índice MSCI Brasil com o índice MSCI Mercados Emergentes. O desempenho do índice tem fins apenas ilustrativos. O desempenho do índice não reflete taxas de gestão, despesas ou custos de transação. Os índices não são gerenciados e não é possível investir diretamente em um índice. O desempenho anterior não garante resultados futuros.

Indonésia: Momentum reformista

A Indonésia aprovou sucessivamente mais de 39 reformas em 15 anos, metade delas nos últimos quatro anos, o que é um sinal de aceleração do momentum reformista. O Banco Mundial classificou a Indonésia como um dos dez países mais reformistas, tendo subido 37 posições após ter aprovado mais reformas do que qualquer outro país pelo segundo ano consecutivo.5 Para se ter uma ideia, abrir uma empresa em Jacarta leva apenas 22 dias; em 2004, demorava 181 dias.5 As condições macrofinanceiras mais amplas do país também estão melhorando. O acesso ao crédito continua crescendo, enquanto a resolução de insolvência melhorou consideravelmente. O corte de subsídios de energia também ajudou a financiar gastos com infraestrutura, o que pode continuar estimulando o crescimento do PIB em longo prazo. Em suma, o alívio do peso regulatório e a alocação mais eficiente de recursos de capital e mão de obra estão gerando maior macroestabilidade e crescimento mais sólido.

Espera-se que a Indonésia continue avançando com reformas voltadas à desburocratização da realização de negócios; ainda assim, outras medidas fiscais são necessárias. A Indonésia continua vulnerável a oscilações de liquidez global e apetite por riscos devido a um déficit orçamentário persistente, que fez com que a participação estrangeira na dívida pública se aproximasse de um recorde de 40% entre os mercados emergentes.6

Indonésia vs. Mercados Emergentes
Retornos Relativos, USD

Gastos do governo em subsídios
% of PIB

Chart: Indonésia vs. Mercados Emergentes Chart: Gastos do governo em subsídios
Fonte: Thomson Reuters, fevereiro de 2018. O gráfico à esquerda compara o desempenho relativo do índice MSCI Indonésia com o índice MSCI Mercados Emergentes. O desempenho do índice tem fins apenas ilustrativos. O desempenho do índice não reflete taxas de gestão, despesas ou custos de transação. Os índices não são gerenciados e não é possível investir diretamente em um índice. O desempenho anterior não garante resultados futuros.

Indonésia vs. Mercados Emergentes
Retornos Relativos, USD

Chart: Indonésia vs. Mercados Emergentes

Gastos do governo em subsídios
% of PIB

Chart: Gastos do governo em subsídios
Fonte: Thomson Reuters, fevereiro de 2018. O gráfico à esquerda compara o desempenho relativo do índice MSCI Indonésia com o índice MSCI Mercados Emergentes. O desempenho do índice tem fins apenas ilustrativos. O desempenho do índice não reflete taxas de gestão, despesas ou custos de transação. Os índices não são gerenciados e não é possível investir diretamente em um índice. O desempenho anterior não garante resultados futuros.

 

Índia: sofrimento em curto prazo, ganho em longo prazo

O potencial de crescimento da Índia diminuiu de uma previsão de 7,6% (2003-2008) para 6,7% (2014/2015), coincidindo com a redução do momentum reformista.7 No entanto, o governo de Narendra Modi instituiu de forma exaustiva uma série de reformas nos últimos anos, tal como a maior reforma tributária indireta do país, o imposto sobre bens e serviços (GST), a adoção de uma estrutura de banco central com metas inflacionárias, a desmonetização e o aprofundamento do sistema financeiro, uma maior facilidade para fazer negócios e um novo código de falências. A agenda de reformas da Índia deve tratar em seguida das restrições fiscais e do fraco ciclo de investimentos. Esse momentum de renovação é um bom começo. Omomentum reformista elevou as estimativas de crescimento para mais de 7%. Esse momentum deve gerar maior produtividade e investimento. Além disso, essas medidas foram planejadas para lidar com deficiências estruturais. A adoção do sistema de metas ajudou a fixar as expectativas de inflação, enquanto o GST pode gerar até 50 bilhões de USD em receitas, o que elevará a baixa carga tributária do país em 2% até 2020.8

O ritmo acelerado de reformas pesou sobre as margens corporativas e o crescimento econômico em curto prazo, apesar de ambos já estarem apresentando sinais de retomada. O índice de gestores de compras (PMI) da Índia está agora em 52,5, já tendo deixado para trás o índice de 46,0 registrado em julho de 2017.9

Crescimento dos ganhos

Ranking de facilidade para fazer negócios de India

Chart: Crescimento dos ganhos Chart: Ranking de facilidade para fazer negócios de India
Fonte: Thomson Reuters I/B/E/S, Banco Mundial, na data de 21 de fevereiro de 2018. Uma maior facilidade para fazer negócios sinaliza um ambiente regulatório mais propício ao comércio.

Crescimento dos ganhos

Chart: Crescimento dos ganhos

Ranking de facilidade para fazer negócios de India

Chart: Ranking de facilidade para fazer negócios de India
Fonte: Thomson Reuters I/B/E/S, Banco Mundial, na data de 21 de fevereiro de 2018. Uma maior facilidade para fazer negócios sinaliza um ambiente regulatório mais propício ao comércio.

China: adeus economia velha, feliz economia nova

Já foram bem documentadas as macrodisparidades da China, tais como capacidade, crédito e alavancagem corporativa excessivos, empresas estatais ineficientes e a desaceleração do crescimento. No entanto, esses riscos estão em grande parte concentrados na economia “velha”, e não na economia “nova”, que tem visto uma aceleração do crescimento e é responsável por uma participação cada vez maior na economia chinesa. A alteração do mix de crescimento é um forte sinal de que a China está tomando as medidas adequadas para fazer a transição de exportadora industrial de baixo custo para uma economia mais voltada aos serviços e ao consumo. O 19º Congresso do Partido Comunista Chinês traçou uma agenda de reformas ambiciosa que cobriu tanto prioridades internas, como inovação, proteção ambiental, reforma de empresas estatais e reduções da capacidade de oferta, quanto externas, como uma política estrangeira mais assertiva. Esperamos pela chegada de detalhes específicos em 2018 e, a nosso ver, os investidores devem ficar bem atentos. Tendo se consolidado no poder, o presidente Xi Jinping está bem posicionado para avançar com uma agenda de reformas agressiva.

Desempenho chineso de aço e semicondutores

Economía nova vs velha

Chart: Desempenho chineso de aço e semicondutores
s Chart: Economía nova vs velha
Fontes: (gráfico à esquerda) BlackRock Investment Institute, com dados da Bloomberg, janeiro de 2018. Observações: as linhas mostram os índices de atividade real da Bloomberg que acompanham a força da atividade econômica mensal e o reequilíbrio da economia chinesa. A nova economia é baseada em uma média ponderada entre consumo de medicamentos, exportação de veículos, produção de energia limpa, fabricação de computadores e equipamentos de comunicação e desempenho de empresas privadas. A velha economia baseia-se em investimentos imobiliários, exportações têxteis, produção de energia termoelétrica, exploração de minérios metálicos e desempenho de empresas estatais. Fontes: BlackRock Investment Institute, com dados do Escritório Nacional de Estatística da China e da Haver Analytics, setembro de 2017. Observações: as barras mostram a produção anual chinesa de aço bruto em milhões de toneladas. A linha mostra a produção chinesa de semicondutores, representada por circuitos integrados em bilhões de peças.

Desempenho chineso de aço e semicondutores

Chart: Desempenho chineso de aço e semicondutores

Economía nova vs velha

Chart: Economía nova vs velha
Fontes: (gráfico à esquerda) BlackRock Investment Institute, com dados da Bloomberg, janeiro de 2018. Observações: as linhas mostram os índices de atividade real da Bloomberg que acompanham a força da atividade econômica mensal e o reequilíbrio da economia chinesa. A nova economia é baseada em uma média ponderada entre consumo de medicamentos, exportação de veículos, produção de energia limpa, fabricação de computadores e equipamentos de comunicação e desempenho de empresas privadas. A velha economia baseia-se em investimentos imobiliários, exportações têxteis, produção de energia termoelétrica, exploração de minérios metálicos e desempenho de empresas estatais. Fontes: BlackRock Investment Institute, com dados do Escritório Nacional de Estatística da China e da Haver Analytics, setembro de 2017. Observações: as barras mostram a produção anual chinesa de aço bruto em milhões de toneladas. A linha mostra a produção chinesa de semicondutores, representada por circuitos integrados em bilhões de peças.

 

África do Sul: vida após Zuma

O novo presidente da África do Sul e líder do partido Congresso Nacional Africano (ANC), Cyril Ramaphosa, apresenta um novo começo após a renúncia de Jacob Zuma. O governo repleto de escândalos de Zuma custou caro ao país. O crescimento desacelerou, a inflação subiu e a taxa de desemprego atingiu quase 30%.10 O objetivo de Ramaphosa é colocar em prática a agenda de reformas, incluindo a consolidação fiscal e uma ofensiva contra a corrupção. Os indicadores iniciais são positivos. A África do Sul aumentou seu imposto sobre valor agregado pela primeira vez desde 1993 com o intuito de pôr fim ao cenário de declínio de crédito. Além disso, espera-se que o novo orçamento do país corte o déficit fiscal de 4,2% para 3,6% do PIB no ano que vem.11As previsões de crescimento do PIB também aumentaram de 1,1% em outubro para 1,5%.12 Uma reforma ministerial deve acontecer antes do prosseguimento das reformas. Fique atento, pois os capítulos das reformas podem estar apenas começando.

Director
Head of ETF Investment Strategy