1
Sentimento do investidor: animado, mas preocupado

Como em 2014, em 2015, os latino-americanos estiveram entre os mais positivos e confiantes sobre seus futuros financeiros e decisões de investimento e poupança. No entanto, houve uma queda neste sentimento.

Quais são as prioridades financeiras e o que eles sentem que os coloca em risco?

Enquanto a confiança dos investidores continua inalterada, moderada na América Latina a partir do otimismo extremo que ocorreu em 2014.

Dada a significativa volatilidade econômica e política que a região tem enfrentado, especialmente em países como o Brasil e o Chile, isso não é surpreendente.

Como os latino-americanos estão mais positivos sobre futuro financeiro.

Ainda que acima dos números globais, a confiança financeira dos decisores que estão tomando as decisões corretas quanto às suas poupanças e investimentos, também enfraqueceu na América Latina.

Como os latino-americanos estão mais positivos em decisões de investimento e poupança.

O que está causando a queda de confiança?

Preocupações sobre o alto custo de vida e o estado da economia dominam, mas a saúde, emprego, inflação e impostos aparecem em base nacional.

Como os riscos afetam na confiança na América Latina.

Em comparação ao resto do mundo, latino-americanos se destacam como poupadores. 75% dos latino-americanos dão prioridade a poupar, comparado a 67% das pessoas globalmente.

Metade dos latino-americanos entrevistados afirmam que poupariam mais para a aposentadoria se recebessem orientação financeira que os ajudassem a compreender em que e como eles precisam economizar.

Como as prioridades afetam na decisão de investimentos na América Latina.

Mais informações sobre investimentos e a alocação de fundos especificamente podem ajudar os decisores financeiros latino-americanos a preencher a lacuna em suas poupanças para a aposentadoria.