A Sustentabilidade como Novo Padrão de Investimento da BlackRock

Caro Cliente,

Desde a fundação da BlackRock em 1988 que trabalhamos no sentido de antecipar as necessidades de nossos clientes com vista a ajudá-los a gerirem riscos e atingirem os seus objectivos em matéria de investimento. À medida que essas necessidades evoluíram, a nossa abordagem evoluiu também, mas assentou sempre no nosso compromisso fiduciário para consigo.

Nos últimos anos, os nossos clientes têm vindo a atentar cada vez mais no impacto da sustentabilidade nas suas carteiras. Essa mudança foi impulsionada por uma maior compreensão da forma como os factores relacionados com a sustentabilidade podem afectar o crescimento económico, os valores dos ativos e os mercados financeiros no seu todo.

O mais significativo desses factores está relacionado atualmente com as alterações climáticas, não apenas em termos do risco físico associado ao aumento da temperatura global, mas também ao risco de transição - como a transição global para uma economia de baixo carbono pode afectar a rentabilidade de uma empresa a longo prazo. E como escreve Larry Fink na sua carta de 2020 aos CEOs, os riscos de investimento apresentados pelas alterações climáticas deverão contribuir para acelerar essa reafectação significativa de capital, o que, por sua vez, terá um impacto profundo na fixação do preço do risco e dos ativos em todo o mundo.

Como seu agente fiduciário, a BlackRock está comprometida no sentido de ajudá-lo a navegar nessa transição e criar carteiras com maior grau de resiliência, incluindo lutar por retornos mais estáveis e mais elevados a longo prazo. E uma vez que as opções de investimento sustentável têm o potencial de oferecer melhores resultados aos clientes, estamos a tornar a sustentabilidade elemento crucial na forma como a BlackRock gere riscos, cria carteiras, projeta produtos e se envolve com as empresas. Acreditamos que a sustentabilidade deve ser o nosso novo padrão de investimento.

Nos últimos anos, temos vindo a aprofundar a integração da sustentabilidade na tecnologia, gestão de riscos e escolha de produtos na BlackRock.  Estamos agora a acelerar esses esforços das seguintes formas abaixo descritas.

Carteiras Sustentáveis, Resilientes e Transparentes

Carteiras resilientes e bem concebidas são essenciais para atingir as metas de investimento a longo prazo. A nossa convicção em termos de investimento é de que as carteiras que integram a sustentabilidade podem proporcionar melhores retornos ajustados ao risco para os investidores. E, dado o impacto da sustentabilidade no aumento dos retornos do investimento, acreditamos que o investimento sustentável constituirá uma boa base para a evolução futura das carteiras.

A sustentabilidade como a nossa oferta padrão de soluções - a BlackRock gere uma ampla variedade de soluções de investimento que combinam fundos diferentes para ajudar os investidores a atingirem os seus objectivos de investimento. Pretendemos fazer dos fundos sustentáveis os pilares padrão nessas soluções sempre que possível, de acordo com as preferências do cliente e com os regulamentos em vigor , como é o caso do ERISA. Todos os aspectos dessa abordagem serão executados ao longo do tempo, consultando para tal os nossos clientes, e estamos comprometidos no sentido de oferecer essas soluções sustentáveis a taxas semelhantes às das soluções mais tradicionais.

  • Neste ano, começaremos a oferecer versões sustentáveis dos nossos modelos mais conhecidos, incluindo a nossa gama de modelos de Target Allocation. Esses modelos usarão exposições optimizadas a índices ambientais, sociais e de governança (ESG), em vez de exposições tradicionais a índices ponderados pelo valor de mercado. Com o tempo, esperamos que esses modelos centrados na sustentabilidade passem a ser os principais modelos de referência.
  • Planeamos lançar também versões sustentáveis da nossa gama de iShares neste ano, com o fim de oferecer aos investidores uma forma simples e transparente de acederem a uma carteira sustentável a um valor justo num único fundo de investimento negociado em bolsa (ETF).
  • E seguir-se-ão outros passos mais com vista a fazer com que os investimentos sustentáveis passem a constituir a norma. Por exemplo, estamos a trabalhar no sentido de desenvolver uma estratégia de vencimento definido LifePath sustentável que ofereça aos investidores uma solução única de reforma, com taxas baixas e sustentável, e estamos a trabalhar também no sentido de expandir as nossas ofertas de produtos monetários sustentáveis.

Reforçar a integração da sustentabilidade nos processos ativos de investimento - Atualmente, todas as equipas ativas de investimentos da BlackRock consideram fatores ESG no seu processo de investimento e articulam a forma como integram ESG nos seus processos de investimento. Até o final de 2020, todas as carteiras ativas e estratégias de aconselhamento terão o ESG totalmente integrado - o que significa que, ao nível das carteiras, os nossos gestores de carteiras serão responsáveis por gerir adequadamente a exposição aos riscos ESG e documentar a forma como essas considerações afectaram as decisões de investimento. O Grupo Quantitativo de Análise de Risco (RQA) da BlackRock, responsável por avaliar todo o investimento, contraparte, e o risco operacional da empresa, avaliará o risco ESG durante as suas análises mensais regulares com os gestores de carteiras de modo a verificar se os gestores de carteiras consideraram o risco ESG nos seus processos de investimento. Essa integração significa que a RQA - e a BlackRock como um todo - consideram o risco ESG com o mesmo rigor com que analisa medidas tradicionais, como risco de crédito e liquidez.

• Reduzir o risco ESG em estratégias ativas - À medida que aumentamos o nosso escrutínio sobre o risco de ESG, estamos a avaliar continuamente o perfil risco-rentabilidade e as externalidades negativas colocadas por sectores específicos à medida que tentamos minimizar o risco e maximizar o retorno a longo prazo para nossos clientes. Atualmente não temos qualquer exposição dos nossos 1,8 biliões de Ativos Sob Gestão (AUM) em estratégias ativas a dívida pública ou ações em sectores com risco ESG elevado, tais como fabricantes controversos de sistemas de armamento. Continuamos a avaliar, tanto nas nossas carteiras de investimento público como privado, sectores de alto risco expostos a reafectação de capital e tomaremos medidas no sentido de reduzir as exposições sempre que tal ajude a melhorar o perfil de risco-rentabilidade das nossas carteiras.

  • Abandonar produtores de carvão - A produção de carvão é um desses sectores. O carvão é muito intensivo em carbono, sendo cada vez menos viável economicamente e altamente exposto à regulamentação devido aos seus impactos ambientais. Com a aceleração da transição energética global, não acreditamos que a lógica económica ou de investimento a longo prazo justifique o investimento continuado nesse sector. Assim, estamos a retirar das nossas carteiras discricionárias de investimento ativo os títulos públicos (dívida e ações) de empresas que geram mais de 25% das suas receitas da produção de carvão, algo que esperamos ver concluído até meados de 2020. Como parte do nosso processo de avaliação de sectores com alto risco de ESG, acompanharemos de perto também outras empresas que dependem muito do carvão, a fim de compreender se estão efetivamente a transitar e sair dessa dependência. Além disso, a gestão de soluções alternativas da BlackRock não fará investimentos diretos no futuro em empresas que geram mais de 25% das suas receitas com a produção de carvão.

Análise ESG nas fundações do Aladdin - Desenvolvemos ferramentas proprietárias de avaliação para aprofundar a nossa compreensão dos riscos materiais de ESG. Por exemplo, a nossa ferramenta Carbon Beta permite-nos testar emitentes e carteiras tendo em conta diferentes cenários de fixação de preços do carbono. Em 2020, continuaremos a desenvolver mais ferramentas, incluindo uma em particular para analisar riscos físicos do clima e uma outra que emite sinais de investimento, analisando as características das empresas em ligação direta com a sustentabilidade. Estamos a integrar essas medidas no Aladdin, a nossa plataforma tecnológica de gestão de riscos e investimentos.

• Melhorar a transparência das características sustentáveis de todos os produtos - Queremos que os investidores possam ver claramente quais os riscos de sustentabilidade dos seus investimentos. Fornecemos já dados no nosso site da iShares com classificação ESG e pegada de carbono de cada fundo, entre outras medidas. Até o final de 2020, pretendemos fornecer dados transparentes e disponíveis ao público sobre características de sustentabilidade - incluindo dados sobre participações controversas e pegadas de carbono - para os fundos de investimento da BlackRock. Procuraremos disponibilizar essas informações a todos os nossos clientes, incluindo aqueles em com mandatos segregados.

Aumentar o acesso ao investimento sustentável

Queremos tornar o investimento sustentável mais acessível a todos os investidores e diminuir os obstáculos para quem pretende agir. Defendemos convenções claras e consistentes no sentido de indicar produtos ESG em toda a indústria, de modo a que os investidores possam tomar decisões informadas ao investirem num fundo rotulado como sustentável. Temos vindo a trabalhar há vários anos no sentido de melhorar o acesso - por exemplo, desenvolvendo o maior conjunto de ETFs de ESG do sector, o que permitiu que muito mais indivíduos investissem mais facilmente de forma sustentável. E estamos comprometidos no sentido de fazer ainda mais:

• Duplicar as nossas ofertas de ETFs de ESG - Pretendemos duplicar as nossas ofertas de ETFs de ESG nos próximos anos (para 150), incluindo versões sustentáveis dos produtos de referência, de modo a que os clientes tenham mais opções no que toca a investir o seu dinheiro.

• Simplificar e expandir iShares de ESG, incluindo ETFs com níveis de combustíveis fósseis - Além de mais opções, os clientes pediram uma maneira mais simples de integrarem ESG nas suas carteiras atuais. Para atender a essa necessidade, teremos três gamas de ETFs ESG nos EUA e na Europa: um que permita aos clientes filtrar determinados sectores ou empresas nas quais não desejam investir; um que permita que os clientes melhorem significativamente o nível de ESG, enquanto otimizam a sua capacidade de acompanhar de perto os índices que ponderam por capitalização de mercado; e um que permite que os clientes invistam em empresas com as mais altas classificações ESG e que apresente os filtros mais abrangentes, incluindo um relativa a combustíveis fósseis. Forneceremos informações adicionais sobre essas linhas de produtos ainda neste trimestre.

• Trabalhar com fornecedores de índices para expandir e melhorar o universo de índices sustentáveis - Para oferecer opções de investimento mais sustentáveis para os nossos clientes - e todos os investidores -, estamos a trabalhar com os principais fornecedores de índices para fornecer versões sustentáveis dos seus índices de bandeira. Continuaremos também a trabalhar com eles no sentido de promover uma maior estandardização e transparência da metodologia de referenciação em matéria de sustentabilidade. Acreditamos que os benchmarks de ESG devem excluir negócios com alto risco de ESG, como carvão, e estamos a trabalhar com fornecedores de índices sobre esse tópico.

• Expandir estratégias de investimento ativo sustentável - A BlackRock expandirá a sua gama de estratégias ativas focadas na sustentabilidade como objetivo de investimento, incluindo fundos centrados na transição energética global o que terá impacto nos fundos de investimento que pretendem promover externalidades positivas ou limitar as negativas.

  • Transição energética global - A BlackRock gere atualmente 50 mil milhões de dólares em soluções que suportam a transição para uma economia de baixo carbono, incluindo um negócio de infraestrutura de energia renovável líder do sector, que investe nos mercados privados de energia eólica e solar; fundos de títulos verdes; LEAF, a primeira estratégia de gestão de liquidez com foco na sustentabilidade ambiental; e estratégias ativas de economia circular, que investem em negócios focados em minimizar o desperdício e alavancar todo o ciclo de vida dos materiais. Expandiremos estratégias específicas para a rápida transição de baixo carbono, oferecendo aos investidores exposição às empresas que estejam a gerir o risco de transição de forma mais eficiente.

Investimento de impacto - A BlackRock incorporou recentemente uma equipa líder em investimentos de impacto que oferece alfa aos clientes através de uma carteira de empresas escolhidas pelo seu impacto positivo e mensurável na sociedade. Estamos comprometidos em lançar soluções dedicadas de investimento de impacto, começando com o lançamento do nosso fundo Global Impact Equity neste trimestre. As nossas soluções de investimento de impacto serão alinhadas com o IFC Operating Principles for Impact Managemente do Banco Mundial.

Melhorar o envolvimento, votação e transparência

A administração dos investimentos é uma componente essencial da nossa responsabilidade fiduciária. Isto é particularmente importante para as nossas participações em índices que fazemos em nome dos nossos clientes, nos quais somos essencialmente acionistas permanentes. Temos a responsabilidade de nos envolvermos com as empresas para entender se estão a divulgar e a gerir adequadamente os riscos relacionados com a sustentabilidade e responsabilizá-las por meio de votação, caso não estejam. Estamos envolvidos com as empresas há algum tempo nessas questões, conforme reflectido nas nossas prioridades de envolvimento. E tal com em outras áreas das nossas funções de investimento, a nossa equipa de orientação de investimentos está a intensificar o seu foco e comunicação com empresas em matéria de riscos relacionados com a sustentabilidade.

• Aderir à Climate Action 100+ - a BlackRock acredita que a colaboração entre investidores, empresas, reguladores e outros é essencial para melhorar a gestão de questões de sustentabilidade. Somos um membro fundador do Grupo de Trabalho sobre Divulgação de Informações Financeiras Relacionadas com o Clima (TCFD) e signatários dos Princípios das Nações Unidas para o Investimento Responsável. A BlackRock aliou-se recentemente na Climate Action 100+ e, antes disso, a BlackRock era já membro das cinco organizações patrocinadoras do grupo. A Climate Action 100+ é um grupo de investidores que colabora com empresas para melhorar a divulgação de informações relacionadas com o clima e alinhar a estratégia de negócios aos objetivos do Acordo de Paris.

• Prioridades de envolvimento e diretrizes para votação – Todos os anos atualizamos as nossas prioridades de envolvimento e as nossas diretrizes para votação. Este ano, vamos direcionar as nossas prioridades para Objetivos de Desenvolvimento Sustentável específicos das Nações Unidas, tais como a Igualdade de Género e a Energia Limpa e Acessível. Vamos, também, incorporar indicadores-chave de desempenho nas nossas políticas de comunicação, dando assim maior claridade sobre as nossas expetativas.

• Transparência - Estamos comprometidos no sentido de aumentar a transparência das nossas práticas de gestão, que acreditamos que devemos aos nossos clientes e ao conjunto de partes interessadas nessas empresas.

  • A partir deste trimestre, passaremos de uma divulgação anual para uma divulgação de votação trimestral.
  • Nas principais votações de alto nível, divulgaremos o nosso voto imediatamente, juntamente com uma explicação da nossa decisão.
  • Por fim, aprimoraremos a divulgação dos compromissos da nossa empresa, incluindo no nosso relatório e contas os tópicos que discutimos durante cada compromisso com uma empresa.

• Votação de propostas de sustentabilidade – Há vários anos que nos envolvemos com empresas em questões relacionadas com a sustentabilidade, alertando para a urgência em avançar e, ao mesmo tempo, dando tempo para que as empresas construam as bases para a divulgação consistente com o SASB (Sustainability Accounting Standards Board) e TCFD. Pedimos às empresas que publiquem informação alinhada com o SASB e com o TCFD e, conforme expresso nas diretrizes do TCFD, isto deve incluir o plano de operação da empresa num cenário em que o objetivo do Acordo de Paris de limitar o aquecimento global a menos de dois graus seja alcançada em pleno. Dadas as bases que já estabelecemos e os crescentes riscos de investimento em torno da sustentabilidade, estaremos cada vez mais dispostos a votar contra os conselhos de administração sempre que as empresas não registem progressos suficientes.

Uma reformulação fundamental das finanças
As alterações climáticas estão a provocar uma profunda reavaliação dos riscos e prevemos uma reafectação significativa de capital.
Ler a carta de Larry Ler a carta de Larry
Larry Fink

O Nosso Compromisso

O nosso papel como agente fiduciário é a fundação onde assenta a cultura da BlackRock. Os compromissos que assumimos hoje refletem a nossa convicção de que todos os investidores - e particularmente os milhões de clientes que estão a poupar para objectivos de longo prazo como a reforma - devem considerar seriamente a sustentabilidade nos seus investimentos.

Investimos em seu nome, e não em nosso , e os investimentos que fazemos representam sempre as suas preferências, agendas e objetivos. Reconhecemos que muitos clientes continuarão a preferir estratégias tradicionais, principalmente em índices ponderados pelo valor de mercado. Geriremos esse dinheiro de acordo com as suas preferências, como sempre. A escolha é sempre sua.

À medida que avançamos para um mundo de baixo carbono, a exposição ao investimento na economia global significará a exposição a hidrocarbonetos por algum tempo. Embora a transição para baixo carbono esteja em curso, as realidades tecnológicas e económicas significam que a transição demorará décadas. O desenvolvimento económico global, particularmente em mercados emergentes, continuará a depender de hidrocarbonetos por vários anos. Assim, as carteiras que gerimos continuarão a manter exposições à economia de hidrocarbonetos à medida que a transição avança.

Uma transição bem-sucedida para baixo carbono exigirá uma resposta internacional coordenada dos governos alinhada com os objetivos do Acordo de Paris, incluindo a adopção global de preços de carbono, que continuamos a apoiar. As empresas e investidores têm um papel significativo a desempenhar na aceleração da transição para baixo carbono. A BlackRock não se vê como um observador passivo na transição para baixo carbono. Acreditamos que temos uma responsabilidade significativa - como fornecedor de fundos indexados, como fiduciário e como membro da sociedade - de desempenhar um papel construtivo nesta transição.

Onde nos for possível tomar decisões - na construção de carteiras , nas nossas plataformas ativas e alternativas e na nossa abordagem de gestão de riscos - empregaremos a sustentabilidade em todo o processo de investimento. Ou onde atendemos clientes de gestão indexada, melhoraremos o acesso a opções de investimento sustentáveis e na gestão  para garantir que as empresas nas quais os nossos clientes investiram estejam a gerir esses riscos de maneira eficaz. Trabalharemos também com um amplo leque de contrapartes - incluindo detentores de ativos, fornecedores de índices e instituições reguladoras  - para promover a sustentabilidade na indústria financeira.

Os passos que tomarmos hoje ajudarão a fortalecer a nossa capacidade em servi-lo de maneira fiduciária. A sustentabilidade assume um papel cada vez mais importante nas rentabilidades dos ativos e, como líder global em gestão de investimentos, o nosso objetivo é ser o líder global em investimentos sustentáveis. Se tiver dúvidas sobre essas ações ou se pretender fazer uma análise de carteiras para compreender as possíveis implicações para os ativos que gerimos em seu nome, os nossos gestores comerciais e estrategas de produto estão à sua disposição. Estamos gratos pela confiança que deposita em nós.

Atenciosamente,

Comitê Executivo Global da BlackRock

  • Laurence D. Fink, Chairman and Chief Executive Officer
  • Robert S. Kapito, President
  • Geraldine Buckingham, Head of Asia Pacific
  • Edwin N. Conway, Global Head of BlackRock Alternative Investors
  • Frank Cooper III, Chief Marketing Officer
  • Robert W. Fairbairn, Vice Chairman
  • Robert L. Goldstein, Chief Operating Officer & Global Head of BlackRock Solutions
  • Ben Golub, PhD, Chief Risk Officer
  • Philipp Hildebrand, Vice Chairman
  • J. Richard Kushel, Head of Multi-Asset Strategies and Global Fixed Income
  • Rachel Lord, Head of Europe, Middle East and Africa
  • Mark S. McCombe, Chief Client Officer
  • Christopher J. Meade, Chief Legal Officer
  • Manish Mehta, Global Head of Human Resources
  • Barbara G. Novick, Vice Chairman
  • Salim Ramji, Global Head of iShares and Index Investments
  • Gary S. Shedlin, Chief Financial Officer
  • Derek N. Stein, Global Head of Technology & Operations
  • Mark K. Wiedman, Head of International and of Corporate Strategy

Em que ponto estamos

Diversity & Inclusion
Sustentabilidade corporativa
Damos primazia à sustentabilidade a longo prazo e garantimos que seja integrada em todo o nosso negócio.

Gestão de investimentos
Gestão de investimentos
Trabalhamos com empresas para emitir um voto informado e promover uma governança corporativa sólida com a criação de valor sustentável a longo prazo.

IBEM0120E-1057975