A OPINIÃO DE ANDREW

As cinco respostas sobre fatores de estilo

19 dez 2017

a capacidade de estratégias de fator parece grande 

Para explicar a lógica e o uso dos cinco fatores de estilo, contamos essa história com cinco perguntas (e uma lógica): quem, o quê, quando, onde, como e por quê.

Fui professor universitário por 15 anos e encerrei meu ciclo no meio acadêmico como presidente da divisão de economia e finanças da Columbia Business School. Nesse período no meio acadêmico, escrevi aproximadamente cem artigos científicos, com detalhes técnicos que a maioria acharia herméticos. Paralelamente, lecionei para alunos de MBA talentosos que estavam destinados à administração em geral. Também trabalhei com muitos profissionais fora da área de investimentos em diferentes tipos de instituições financeiras.

Estes são tipos bem diferentes de mensagens e públicos. Desde pesquisa técnica a um papo com detalhes com um amigo tomando uma cerveja, o que torna uma mensagem mais eficiente é o fato de que estamos contando uma história. E essa história também deve apresentar cinco respostas (e uma lógica). Para entendermos e criarmos uma lógica total das explicações reais e subjacentes, todos nós precisamos de histórias.

O que são fatores e por que eles
funcionam

O que é um fator? Fatores são impulsionadores amplos e persistentes de retorno com solidez historicamente comprovada através de pesquisas. A parte mais importante desta filosofia de investimento é por que fatores tiveram êxito e a lógica por trás deles. Eu escrevi anteriormente sobre a relação de fatores sólidos, que inclui três princípios econômicos por trás de seus resultados históricos:

 

  1. Risco recompensado - alguns fatores obtiveram maiores retornos de longo prazo como recompensa por terem assumido mais riscos
  2. Impedimento estrutural - regras de mercado ou outros impedimentos podem apresentar restrições a certos investidores, como fundos de pensão. Esses investimentos fora de alcance podem se transformar em oportunidades para outros.
  3. Viés dos investidores - com o tempo, oportunidades são geradas por investidores que não apresentam comportamento totalmente racional. Assumir uma visão contrária pode ser benéfico.

Quando elas podem brilhar

Vamos comparar esta lógica econômica com quando cinco fatores de estilo tendem a ser recompensados durante o ciclo econômico: expansão, desaceleração, contração e recuperação.

Etapas do ciclo econômico

Valor. A lógica por trás do fator de valor é de que títulos precificados com desconto em relação ao seu valor fundamental geralmente apresentam desempenho superior em comparação a títulos precificados com prêmio. Funciona graças ao risco recompensado (fabricantes tradicionais são menos flexíveis do que empresas que podem diversificar) e ao viés de investidores (ações de valor tradicional são ignoradas pelos investidores, maravilhados pelo crescimento). O fator de valor pode apresentar melhor desempenho quando a economia está em fase de recuperação e o crescimento está acelerando após um gargalo.

Momentum. A lógica do momentum é simples: preços em ascensão tendem a continuar subindo. Ele tem êxito graças ao risco recompensado (com a reversão das tendências de preços, a queda pode ser grande) e ao viés de investidores (o comportamento do investidor tende a acentuar tendências atuais). O momentum pode apresentar melhor desempenho durante uma fase de expansão, quando o crescimento está em aceleração e as tendências persistem.

Qualidade. A lógica é de que empresas financeiramente saudáveis tendem a apresentar desempenho superior ao de empresas menos eficientes. A qualidade tem êxito graças ao viés de investidores: investidores superficiais são atraídos por ganhos de alto destaque, enquanto investidores diligentes avaliam a composição subjacente. A qualidade pode obter melhores resultados durante as fases de desaceleração e contração, quando o crescimento está em desaceleração e os investidores buscam segurança.

Tamanho. A lógica é de que as empresas menores e mais ágeis tendem a superar empresas maiores. O fator de tamanho tem êxito graças ao risco recompensado, já que empresas menores são menos líquidas e mais sensíveis aos movimentos de mercado. Semelhante ao fator de valor, o fator de tamanho pode apresentar melhor desempenho durante uma recuperação.

Volatilidade mínima. Ao contrário dos quatro fatores de estilo anteriores, usados principalmente por investidores que desejam aumentar o retorno de seu portfólio, a volatilidade mínima visa a reduzir o risco do portfólio. A lógica é de que os títulos com preços com menor movimentação podem gerar retornos semelhantes aos do mercado com menos riscos. O fator tem êxito graças ao impedimento estrutural, já que algumas pensões e seguros de vida do tipo “endowment” têm restrições em relação à alavancagem, conduzindo-as para ações de alto risco para atingir metas de alto retorno. Há também o viés de investidores, quando ações de baixo risco são ignoradas pelos investidores correndo atrás da próxima grande ideia. A volatilidade mínima, tal qual a qualidade, pode obter melhor desempenho durante fases de desaceleração e contração, quando há desaceleração do crescimento.

Como fatores são utilizados

Como os investidores usam fatores em portfólios? De três formas:

  1. Para buscar maiores retornos. Fatores de valor, momentum, qualidade e tamanho podem ser usados individualmente ou juntos para buscar retornos acima do mercado amplo.
  2. Para aumentar a diversificação. Portfólios alocados em classes de ativos tradicionais podem desenvolver concentrações de fator indesejadas. A alocação em fatores macro e de estilo pode diversificar entre diferentes fontes de retorno para restaurar o equilíbrio.
  3. Para buscar risco reduzido. O fator de volatilidade mínima pode ser usado para ajudar a reduzir o risco em um portfólio.

Só falta agora onde e quando

Então, onde podem se encaixar os fatores de estilo em um portfólio? Em várias posições:

  1. Como um upgrade às posições do style box, trocando momentum por crescimento acentuado e qualidade por combinação ampla, por exemplo.
  2. Em alocações de renda fixa e alternativas. Quanto a alternativas, versões aprimoradas de estratégias de fator investem usando posições long e short. Elas obtêm valor, momentum e outros fatores de diversas classes de ativos.
  3. Para apresentar perspectivas de curto prazo. Escrevi anteriormente sobre inclinação de fator como um exemplo.

E, por fim, quem deve considerar os fatores?

Todo mundo! Fatores são um princípio de investimento testado ao longo do tempo que foi democratizado por dados e tecnologias recentemente disponibilizados. O que mudou é que essas fontes de retornos amplas e persistentes economicamente intuitivas costumavam estar disponíveis apenas a investidores mais sofisticados, e agora estão acessíveis a todos.

Uma das tarefas das quais menos gostava como professor era dar notas. E agora você pode dar nota para mim! Eu abordei o que são os fatores, por que eles têm êxito, como são usados, quando podem ser recompensados, onde usá-los em um portfólio e quem pode se beneficiar com os fatores. Talvez eu ganhe uma nota extra por mudar a ordem original!

Andrew Ang
Head of Factor Investing Strategies
Andrew Ang, PhD, Managing Director, is Head of Factor Investing Strategies and leads BlackRock’s Factor-Based Strategies Group. Throughout his career, Dr. Ang’s ...