MARÇO DE 2018

Defendendo a tecnologia em 2018

08 jun 2018
por BlackRock

Pontos principais

  • As ações de tecnologia têm tido um desempenho estelar nos últimos tempos; são responsáveis por quase 30% dos ganhos totais do S&P 500 Index ao longo dos últimos cinco anos.1 Será que os bons momentos podem continuar?
  • A equipe de estratégia de investimento em ETF dos EUA analisa as três razões pelas quais a tecnologia é uma das escolhas principais do setor:
    • forte momentum de ganhos;
    • saldos de caixa significativos;
    • tendências de ruptura em longo prazo.

    Os investidores correram atrás do setor de tecnologia no ano passado, e as ações do setor tiveram retorno de 38%, enquanto o mercado mais amplo obteve 22%.2 Apesar dos ganhos sólidos em todo o mercado, mantemos a posição overweight em ações de tecnologia neste ano por três razões, detalhadas a seguir.

    1. Forte momentum de ganhos

    Atualizamos recentemente as ações americanas de neutro para overweight com base em expectativas de crescimento significativo dos lucros impulsionadas pelo estímulo fiscal e por um ambiente macroeconômico já favorável.

    Compondo um quarto do índice amplo,3 o setor de tecnologia da informação é fundamental para o mercado americano. A tese de ganhos em que se baseia o nosso overweight para ações dos EUA se aplica igualmente a empresas de tecnologia e tem como ponto de partida o atual momentum de ganhos do setor. Nesta temporada de relatórios, 88% das empresas de TI no S&P 500 Index apresentaram surpresas positivas nos ganhos – a maior proporção de todos os setores. Os ganhos tiveram crescimento agregado anual de 22,5%, em comparação com 14,3% do índice relativo ao mercado mais amplo.4 Isso se traduziu em um forte desempenho acumulado no ano no mercado de ações, conforme descrito abaixo. É importante observar que o outro setor bem-sucedido, o de bens de consumo discricionário, também abrange duas gigantes de tecnologia: Amazon e Netflix.

    Retorno total acumulado no ano e surpresas nos ganhos do 4º trimestre de 2017

Retorno total acumulado no ano e surpresas nos ganhos do 4º trimestre de 2017

Fonte: BlackRock e Bloomberg, em 22 de fevereiro de 2018. Os resultados de desempenho e ganhos do setor são referentes a setores GICS do S&P 500 Index. As surpresas nos ganhos se referem à porcentagem de empresas em um setor que supera as estimativas de analistas durante a mais recente temporada de relatórios. O desempenho do índice não reflete taxas de gestão, despesas ou custos de transação. Os índices não são gerenciados e não é possível investir diretamente em um índice. O desempenho anterior não garante resultados futuros.

2. Saldos de caixa significativos

Muitas empresas de tecnologia tradicionais são ricas em caixa, com robustos balanços patrimoniais e amplo poder de fogo para investimento. Por exemplo, Apple, Microsoft e Alphabet têm mais de 100 bilhões de USD.

Isso oferece inúmeras vantagens. Em primeiro lugar, essas empresas estão potencialmente isoladas do impacto do aumento das taxas de juros e podem até mesmo se beneficiar. Como já havíamos observado recentemente, historicamente, o setor de tecnologia tem estado entre os setores mais isolados em relação a deslocamentos da curva de rendimento.

Além disso, uma das consequências da recente legislação fiscal é a perspectiva de as empresas repatriarem dinheiro de volta aos EUA com taxas favoráveis. Isso aumenta o potencial para dividendos, recompra de ações ou atividades de fusões e aquisições. Ao mesmo tempo, o aumento dos gastos de capital ou em pesquisa e desenvolvimento beneficia o setor no longo prazo. Por exemplo, a Apple já anunciou planos para investir 30 bilhões de USD em gastos de capital nos EUA ao longo dos próximos cinco anos como resultado da mudança da legislação fiscal e de seu plano de repatriação de divisas.5

Cinco principais ações de tecnologia norte-americanas classificadas por posição de caixa

Cinco principais ações de tecnologia norte-americanas classificadas por posição de caixa

Fonte: Bloomberg, 2 de novembro de 2017.

3. Investimento em tendências de longo prazo

Os impactos da evolução tecnológica ultrapassam os limites das classificações setoriais antigas. Como destacamos em outubro, o investimento em tecnologia permite que os investidores aproveitem alternâncias transformacionais e em grande escala na maneira como segmentos inteiros operam, seja no crescimento de “big data”, em soluções de negócios baseadas na nuvem e soluções de infraestrutura, em segurança cibernética ou na importância intrínseca de semicondutores. Além disso, o crescimento do comércio on-line está substituindo o varejo físico tradicional e pode mudar a cara do mercado de imóveis comerciais. Essas forças resultam em um setor de tecnologia que exibe um perfil de forte crescimento secular e, na nossa opinião, justificam um prêmio na forma de avaliações mais altas.

Investidores podem escolher entre uma ampla gama de exposições em ações de tecnologia. Há veículos de índice, como fundos negociados em bolsa, que buscam acompanhar índices amplos como o S&P North American Technology Sector Index, que abrangem baluartes de grande capitalização no setor de tecnologia, como o grupo conhecido como “FAANG” – Facebook, Amazon, Apple, Netflix e Google (Alphabet) – além da Microsoft. De modo alternativo, os veículos mais focados em acompanhar subíndices permitem que os investidores busquem empresas com linhas de negócios ligadas a redes e segurança cibernética, ou com foco em software. Investidores em busca de uma exposição mais economicamente sensível podem levar em conta ETFs que acompanham um índice de semicondutores, fornecendo acesso ao crescimento de empresas que fazem o design, a fabricação ou a distribuição de semicondutores, que são os componentes essenciais de muitos produtos eletrônicos e computadores.

A tabela abaixo demonstra a dispersão dos resultados em vários índices com foco em tecnologia ao longo dos últimos cinco anos. O Philadelphia Stock Exchange Semiconductor Index tem um maior beta do S&P 500 Index do que os outros índices listados.6

Retorno acumulado de cinco anos dos índices de tecnologia

Retorno acumulado de cinco anos dos índices de tecnologia

 

Fonte: Bloomberg, em 5/3/2018. O desempenho do índice tem fins meramente ilustrativos. O desempenho do índice não reflete taxas de gestão, despesas ou custos de transação. Os índices não são gerenciados e não é possível investir diretamente em um índice. O desempenho anterior não garante resultados futuros. O desempenho do índice não representa o desempenho real de fundos da iShares. Para obter o desempenho real dos fundos, visite www.iShares.com ou www.blackrock.com.

Tecnologia com outro nome

É importante reconhecer que as implicações do investimento em tecnologia vão além das antigas classificações do setor, e estas classificações evoluem para refletir as mudanças constantes do cenário. No final de 2017, os índices S&P Dow Jones e a MSCI Inc. anunciaram que, de acordo com a estrutura do Global Industry Classification Standard (GICS®), o setor de serviços de telecomunicações será ampliado e renomeado para “serviços de comunicação” para incluir algumas empresas atualmente classificadas nos subgrupos de mídia e de varejo de comercialização direta e via internet, além de outras que já estão atualmente no setor de tecnologia. Os provedores de índices anunciaram em janeiro de 2018 que empresas como Facebook, Alphabet e Netflix vão se unir ao setor de serviços de comunicação, e Alibaba e eBay farão parte do subsetor de varejo de comercialização direta e via internet, sob bens de consumo discricionário. Essas mudanças serão implementadas até 28 de setembro de 2018.7

Posicionamento do investidor

O setor de tecnologia superou todos os outros fluxos de setor único em 2018, com 5,1 bilhões de USD em influxos líquidos no acumulado do ano. Apenas as atividades financeiras chegaram perto, com 4,9 bilhões de USD, um sinal de que os investidores continuam mostrando preferência por setores cíclicos, conforme destacado em Defendendo atividades financeiras em 2018.

Fluxos de ativos de ETFs globais no acumulado do ano (milhões de USD)

Fluxos de ativos de ETFs globais no acumulado do ano (milhões de USD)

Fonte: BlackRock Global Business Intelligence, 22 de fevereiro de 2018. Dados de fluxos obtidos da Markit e calculados pela BlackRock. As categorias e os agrupamentos de produtos negociados em bolsa (ETP) são determinados pela BlackRock.

Conclusão

Ganhos com momentum, balanços patrimoniais robustos e forças disruptivas e inovadoras que transformam toda a economia devem oferecer suporte cíclico e estrutural para as ações de tecnologia em 2018. Investidores em busca de exposição ao crescimento tecnológico podem se beneficiar de uma abordagem direcionada às suas definições setoriais.

Director
Head of ETF Investment Strategy