Investimento sustentável: Resiliência em meio a incertezas

Investimento sustentável: Resiliência em meio a incertezas

Leia mais na nossa pesquisa para investidores institucionais e profissionais:

O enorme impacto da crise do COVID-19 - na saúde, bem-estar económico e atividade quotidiana - levou a uma reavaliação generalizada da forma como vivemos as nossas vidas. Para os governos, empresas e investidores, uma questão essencial tem sido compreender as fontes de resiliência durante estes últimos meses e como desenvolvê-las para nos prepararmos para futuras crises.

O mercado acionista mundial sinalizou a gravidade da crise ainda antes de grande parte do mundo ter começado o período de confinamento. As ações começaram a descer de forma acentuada em finais de Fevereiro e, no espaço de um mês, a Dow Jones Industrial Average caiu mais de 10.000 pontos (34%)1, a procura por dinheiro disparou e a atividade económica parou, à medida que os negócios foram forçados a fechar e as pessoas obrigadas a ficar em casa. Durante este cenário volátil, os investidores têm procurado compreender que características contribuíram para a resiliência comparativa do desempenho de portfólios e como incorporar essas características nos seus próprios investimentos.

O conceito de investimento sustentável pode ter diferentes significados. Os proprietários e gestores de ativos costumam trabalhar com múltiplas definições, mensagens e motivações. A BlackRock opera a partir de uma simples definição de investimento sustentável: combinando o investimento tradicional com conhecimentos ambientais, sociais e relacionados à governação (ESG), aumentando o retorno dos nossos clientes a longo prazo. A nossa visão: as empresas com um claro enfoque nas questões de sustentabilidade têm potencial para superar aquelas com um baixo perfil nessa área. Em particular, acreditamos que as empresas geridas com um enfoque na sustentabilidade estão mais bem posicionadas (em relação às menos sustentáveis) para enfrentar condições adversas e, ao mesmo tempo, beneficiar de ambientes de mercado positivos.

A recente queda nos mercados foi um teste fundamental a esta convicção. No primeiro trimestre de 2020, a Morningstar disse que 51 dos 57 índices sustentáveis superaram os seus homólogos de mercado, e o MSCI disse que 15 dos 17 índices sustentáveis superaram os seus homólogos de mercado - sólidos tanto em toda a região como também na metodologia do índice.23 Embora este curto período de tempo não seja determinante, alinha-se com a resiliência que temos visto nas estratégias sustentáveis durante períodos de quedas anteriores, em 2015-2016 e em 2018. Além disso, estes resultados são consistentes com o relatório que a BlackRock publica desde meados de 2008, demonstrando as que estratégias sustentáveis não requerem uma contrapartida de retorno e têm importantes características resilientes.4

Para os investidores, a questão mais importante é saber porquê. O que explica a resiliência?

Um estudo da BlackRock5 estabeleceu uma correlação entre a sustentabilidade e fatores tradicionais como a qualidade e a baixa volatilidade, que por sua vez demonstram resiliência. Como resultado, seria de esperar que as empresas sustentáveis fossem mais resilientes durante as fases de abrandamento.

Os fatores tradicionais, contudo, não descrevem o conjunto completo de atributos que podem ter impacto na resiliência de uma empresa. A análise das várias características de sustentabilidade das empresas - e como estas características contribuíram para o desempenho - aprofunda o nosso entendimento de como a sustentabilidade reforça a resiliência. O nosso estudo indica que, na atual crise, com o seu impacto transformador e devastador na vida diária, as empresas com um registo de boas relações com os seus clientes ou que tenham uma cultura empresarial robusta estão a demonstrar um desempenho financeiro mais resiliente.

Inicialmente o forte desempenho dos fundos ESG é atribuido à sua relativa sub-ponderação em relação às empresas de energia tradicional, cujos preços desceram mais do que o mercado global durante as recentes contrações. No entanto, a nossa própria análise neste artigo e outros estudos de terceiros mostram6 que o fraco desempenho da energia tradicional explica apenas uma fração do melhor comportamento que tiveram muitos fundos sustentáveis.

Acreditamos que este melhor comportamento tem sido impulsionado por uma série de características de sustentabilidade, incluindo a satisfação profissional dos funcionários, a força das relações com os clientes ou a eficácia da administração da empresa. Em geral, este período de turbulência do mercado e incerteza económica reforçou ainda mais nossa convicção de que as características de ESG revelam resiliência durante as fases de recessão do mercado.

Outra peça fundamental da história da resiliência tem sido a preferência dos investidores por ativos sustentáveis durante a crise. Os investidores têm procurado reequilibrar as suas carteiras de ativos durante a turbulência dos mercados, preferindo cada vez mais os fundos sustentáveis em detrimento dos mais tradicionais. No primeiro trimestre de 2020, os fundos de investimento sustentáveis globais (fundos de investimento e ETFs) trouxeram 40,5 mil milhões de dólares em ativos (um aumento de 41% em relação ao ano anterior). Os fundos sustentáveis dos EUA captaram um recorde de 7,3 mil milhões de dólares durante este trimestre.7

Acreditamos que estes fluxos durante um período de extraordinária contração de mercado sugerem uma persistência nas preferências dos investidores em relação à sustentabilidade. Eles levantam uma preocupação muito falada antes da crise do COVID: durante as fortes quedas do mercado, os investidores retiram importancia à sustentabilidade. E oferecem provas importantes, embora a curto prazo, de que a mudança incipiente nas preferências - que foi explorada numa análise do BlackRock Investment Institute no início deste ano8 - foi acelerada pela crise e é outro contributo fundamental para a resiliência dos fundos sustentáveis.

Neste estudo, analisamos as diferenças de desempenho entre os índices ESG e as suas versões genéricas, não ESG, bem como os fundos geridos com critérios ESG versus os seus pares, e descobrimos que a maioria das carteiras ESG tiveram melhor desempenho do que as suas congéneres não sustentáveis durante a contração económica deste ano. Também examinamos uma variedade de temas relacionados com a sustentabilidade utilizando a nossa estrutura orientada para a investigação para avaliar e integrar as perspetivas de sustentabilidade de modo a compreender o desempenho de cada tópico durante a recessão. Encontramos um desempenho particularmente forte em temas que incluem as relações com os clientes, a cultura da empresa e a eficácia do conselho de administração, proporcionando uma visão da resiliência durante esta crise. Finalmente, exploramos a crescente alocação para portfólios sustentáveis durante a crise e a mudança estrutural nas preferências dos investidores para ativos sustentáveis.

Leia mais na nossa análise para investidores institucionais e profissionais.

Faça o download do relatório completo

Fonte:

1 Bloomberg. Periodo: February 20, 2020 to March 20, 2020
2 https://www.morningstar.com/insights/2020/04/06/how-did-esg-indexes-fare
3 https://www.msci.com/www/blog-posts/msci-esg-indexes-during-the/01781235361
4 BlackRock Investment Institute,“Sustainable investing: ‘a why not’ moment” May 2018; Sustainability: the bond that endures, November 2019.
5 Ibid.
6 https://www.morningstar.com/articles/976361/sustainable-funds-weather-the-first-quarter-better-than-conventional-funds
7 Os dados para esta análise são obtidos de várias fontes pela BlackRock, incluindo sites de fornecedores, prospetos de fundos, comunicados de imprensa de fornecedores, pesquisas de fornecedores, Bloomberg, Bolsa Nacional de Valores, Strategic Insight Simfund e Wind. Todos os valores são reportados em dólares americanos. Os fluxos são derivados usando os valores dos ativos líquidos diários e as ações em circulação usando os dados mais recentes que podemos recolher no final do mês. Para produtos com listagens cruzadas, atribuímos os fluxos líquidos e ativos às listagens primárias. Os dados são a partir de 31 de março de 2020.
8 BlackRock Investment Institute, ‘Sustainability: The tectonic shift transforming investing,” Fevereiro 2020

Em que ponto estamos

A sustentabilidade está fundamentalmente a remodelar o financiamento
A sustentabilidade está fundamentalmente a remodelar o financiamento
As alterações climáticas estão a conduzir a uma reavaliação profunda dos riscos e antecipamos uma reafectação significativa do capital.
Colocar a sustentabilidade no centro da nossa forma de investir
Colocar a sustentabilidade no centro da nossa forma de investir
As carteiras integradas na sustentabilidade podem ajudar os investidores a atingir os seus objectivos financeiros.