Acções

EDM6

iShares MSCI Europe ESG Enhanced UCITS ETF

Resumo

INFORMAÇÃO IMPORTANTE: Capital em risco. O valor do seu investimento e o respetivo rendimento podem diminuir ou aumentar e não são garantidos. Os investidores poderão não conseguir reaver o montante inicialmente investido.

Loading

Rentabilidade

Rentabilidade

Crescimento hipotético de 10.000

Performance chart data not available for display.
Ver gráfico completo

Este gráfico mostra o desempenho do fundo como a percentagem de perda ou ganho por ano nos últimos 3 anos. Pode ajudá-lo a avaliar como o fundo foi gerido no passado e a compará-lo com o seu índice de referência.

  2018 2019 2020 2021 2022
Retorno total (%) -1,4 25,5 -12,4
Índice de referência (%) -1,6 25,3 -12,6
  De
31 dez 2017
a
31 dez 2018
De
31 dez 2018
a
31 dez 2019
De
31 dez 2019
a
31 dez 2020
De
31 dez 2020
a
31 dez 2021
De
31 dez 2021
a
31 dez 2022
Retorno total (%)

a 31 dez 2022

- - -1,41 25,50 -12,42
Índice de referência (%)

a 31 dez 2022

- - -1,57 25,26 -12,62
  1a 3a 5a 10a Início
-12,42 2,71 - - 4,62
Índice de referência (%)

a 31 dez 2022

-12,62 2,51 - - 4,41
  YTD 1m 3m 6m 1a 3a 5a 10a Início
-12,42 -3,54 8,88 3,38 -12,42 8,36 - - 18,21
Índice de referência (%)

a 31 dez 2022

-12,62 -3,52 8,91 3,36 -12,62 7,74 - - 17,35

Os números mostrados dizem respeito ao desempenho passado. O desempenho passado não é um indicador fiável de resultados futuros e não deve ser o único fator em consideração ao selecionar um produto ou estratégia.

Desempenho da classe de ações e referencial apresentado em EUR, referencial da categoria de ações cobertas apresentado em EUR.

O desempenho é apresentado numa base de Valor Patrimonial Líquido, com o reinvestimento dos rendimentos brutos, sempre que aplicável. Os dados de desempenho baseiam-se no valor líquido de ativos (NAV) do ETF que poderá não corresponder ao preço de mercado do ETF. Os acionistas individuais podem obter retornos diferentes do desempenho no NAV.

O retorno do seu investimento poderá aumentar ou diminuir em resultado de flutuações cambiais se o seu investimento tiver sido feito numa moeda diferente da utilizada no cálculo do desempenho passado. Fonte: BlackRock

Características Chave

Características Chave

Ativos totais a 27 jan 2023 EUR 985.953.374
Valor líquido de inventário do fundo a 27 jan 2023 EUR 2.809.469.910
Data de lançamento 16 abr 2019
Data de lançamento 06 mar 2019
Moeda da categoria de acções EUR
Divisa base EUR
Classe do activo Acções
Índice de referência MSCI Europe ESG Enhanced Focus CTB Index
Classificação SFDR Artigo 8º
Total de Cotas em Negociação a 27 jan 2023 155.032.783,00
Encargos Totais Correntes 0,12%
Uso de renda Acumulação
Rentabilidade de empréstimo de títulos a 30 set 2022 0,03%
Domicílio Irlanda
Estrutura de produto Físico
Rebalance Freq Trimestral
Metodologia Optimised
Normativa UCITS Sim
Companhia emitente iShares IV plc
Gestor de fundos BlackRock Asset Management Ireland Limited
Administrador State Street Fund Services (Ireland) Limited
Custodiante State Street Custodial Services (Ireland) Limited
Fiscal Year End 31 Maio
Ticker Bloomberg EDM6 GY
ISIN IE00BHZPJ783

Caracteristicas da carteira

Caracteristicas da carteira

Número de participações a 27 jan 2023 397
Nível de referência a 27 jan 2023 EUR 2.077,49
Ticker do índice de referência NE723914
Desvio padrão (3 anos) a 31 dez 2022 18,75%
Beta a 3 anos a 31 dez 2022 1,001
P/E ratio a 27 jan 2023 14,50
P/B ratio a 27 jan 2023 1,99

Características de sustentabilidade

Características de sustentabilidade

As características de sustentabilidade fornecem aos investidores métricas específicas não tradicionais. Juntamente com outras métricas e informações, estas permitem aos investidores avaliarem os fundos com base em determinadas sobre características ambientais, sociais e de governação. As características de sustentabilidade não fornecem uma indicação do desempenho atual ou futuro nem representam o potencial perfil de risco e recompensa de um fundo. São fornecidas apenas para efeitos de transparência e informação. As características de sustentabilidade não devem ser consideradas apenas ou isoladamente, mas são antes um tipo de informação que os investidores podem querer considerar na avaliação de um fundo.


As métricas não são indicativas de como ou se serão integrados fatores ESG num fundo. Salvo indicação em contrário na documentação do fundo e inclusão no objetivo de investimento de um fundo, as métricas não alteram o objetivo de investimento de um fundo nem restringem o universo de investimento do fundo e não há indicação de que um fundo irá adotar uma estratégia de investimento centrada em critérios ESG ou de impacto ou triagens de exclusão. Para obter mais informações sobre a estratégia de investimento de um fundo, consulte o prospeto do fundo.


Consulte as metodologias MSCI por trás das características de sustentabilidade, utilizando as ligações abaixo.

Classificação ASG de Fundos da MSCI (AAA-CCC) a 21 nov 2022 AAA
Cobertura de % ASG da MSCI a 21 nov 2022 100,00
Pontuação da Qualidade ASG da MSCI (0-10) a 21 nov 2022 10,00
Pontuação da Qualidade ASG da MSCI - Percentil de Pares a 21 nov 2022 100,00
Classificação Global de Fundos da Lipper a 21 nov 2022 Equity Europe
Fundos no Grupo de Pares a 21 nov 2022 1.078
Intensidade de Carbono Média Ponderada da MSCI (Toneladas de CO2E/$M de VENDAS) a 21 nov 2022 90,73
% de cobertura MSCI Weighted Average Carbon Intensity a 21 nov 2022 99,69
MSCI Implied Temperature Rise (0-3,0+ °C) a 21 nov 2022 > 2,0 - 2,5 °C
% de cobertura MSCI Implied Temperature Rise a 21 nov 2022 99,68

O que é a métrica Implied Temperature Rise (ITR)? Saiba o que significa a métrica, como é calculada e quais são os pressupostos e limitações desta métrica prospetiva relacionada com o clima.

As alterações climáticas são um dos maiores desafios da história da humanidade e terão profundas implicações para os investidores. Para fazer face às alterações climáticas, muitos dos principais países do mundo assinaram o Acordo de Paris. O objetivo de temperatura do Acordo de Paris é limitar o aquecimento global muito abaixo de 2 °C acima dos níveis pré-industriais e, idealmente, 1,5 °C, o que nos ajudará a evitar os impactos mais graves das alterações climáticas.


O que é a métrica ITR?

A métrica ITR é utilizada para fornecer uma indicação de alinhamento com o objetivo de temperatura do Acordo de Paris para uma empresa ou carteira. O consenso científico sugere que a redução das emissões até atingirem um nível neutro por volta de meados do século (2050-2070) é a forma de alcançar este objetivo. Uma economia "zero emissões" é aquela que equilibra as emissões e as absorções.


Como é calculada a métrica ITR?

A métrica ITR é calculada analisando a intensidade atual das emissões das empresas dentro da carteira do fundo, bem como o potencial dessas empresas para reduzir as suas emissões ao longo do tempo. Se as emissões da economia global seguissem a mesma tendência que as emissões das empresas dentro da carteira do fundo, as temperaturas globais acabariam por aumentar dentro deste intervalo.


Nota: apenas os emitentes corporativos são abrangidos no cálculo. Uma explicação resumida da metodologia e dos pressupostos da MSCI para a sua métrica ITR pode ser consultada aqui.


Como a métrica ITR é calculada em parte considerando o potencial de uma empresa da carteira do fundo para reduzir as suas emissões ao longo do tempo, é prospetiva e propensa a limitações. Como resultado, a BlackRock publica a métrica ITR da MSCI para os seus fundos em intervalos de temperatura. Os intervalos ajudam a realçar a incerteza subjacente nos cálculos e a variabilidade da métrica.

 Imagem de aumento de temperatura implícito

Quais são os principais pressupostos e limitações da métrica ITR?

Esta métrica prospetiva é calculada com base num modelo que depende de múltiplos pressupostos. Além disso, os dados de entrada do modelo apresentam limitações. É importante notar que uma métrica ITR pode variar significativamente entre fornecedores de dados por diversas razões devido a escolhas metodológicas [por exemplo, diferenças nos horizontes temporais, âmbito(s) das emissões incluídas e cálculos de agregação de carteira].

Não existe uma forma universalmente aceite de calcular um ITR. Não existe um conjunto universalmente acordado de dados de entrada para o cálculo. Atualmente, a disponibilidade de dados de entrada varia consoante as classes de ativos e os mercados. Na medida em que os dados se tornam mais facilmente disponíveis e mais precisos ao longo do tempo, esperamos que as metodologias de métrica ITR evoluam e alcancem diferentes resultados. Quando os dados não estão disponíveis e/ou se os dados mudarem, os métodos de estimativa variam, particularmente os relacionados com as futuras emissões de uma empresa.


A métrica ITR estima o alinhamento de um fundo com o objetivo de temperatura do Acordo de Paris. No entanto, não existe qualquer garantia de que estas estimativas sejam alcançadas. A métrica ITR não é uma estimativa em tempo real e pode mudar ao longo do tempo, pelo que é propensa a variar e pode nem sempre refletir uma estimativa atual.


A métrica ITR não é uma indicação ou estimativa do desempenho ou risco de um fundo. Os investidores não devem confiar nesta métrica ao tomarem uma decisão de investimento e devem, em vez disso, consultar o prospeto e os documentos de orientação de um fundo. Esta estimativa e as informações associadas não pretendem ser uma recomendação para investir em qualquer fundo, nem se destinam a indicar qualquer correlação entre a métrica ITR de um fundo e o seu futuro desempenho de investimento.

Todos os dados são das Classificações ASG de fundos da MSCI desde 21 nov 2022, com base nas participações de 31 out 2022. Como tal, as características sustentáveis do fundo podem ser diferentes das Classificações ASG do Fundo MSCI de tempos a tempos.

Para serem incluídos em MSCI ESG Fund Ratings, 65% da ponderação bruta do fundo devem provir de títulos com cobertura ESG pela MSCI ESG Research (determinadas posições em liquidez e outros tipos de ativos considerados irrelevantes para a análise ESG pela MSCI são eliminados antes de calcular a ponderação bruta do fundo; os valores absolutos das posições curtas são incluídos, mas tratados como não cobertos), a data de detenção do fundo deve ter menos de um ano e o fundo deve ter pelo menos dez títulos. Para fundos recentemente lançados, as características de sustentabilidade costumam estar disponíveis 6 meses após o lançamento.

Envolvimento em Negócios

Envolvimento em Negócios

As métricas de envolvimento em negócios também podem ajudar os investidores a obter uma visão mais abrangente das atividades específicas a que dado fundo poderá estar exposto através dos seus investimentos.


As métricas de Envolvimento em Negócios não são indicativas de um objetivo de investimento de um fundo e, salvo indicação em contrário na documentação do fundo e incluído no objetivo de investimento de um fundo, não se deve alterar o objetivo de investimento de um fundo ou limitar o universo de investimento do fundo, e não hã indicação de que uma estratégia de investimento focada no impacto ou ASG ou rastreios de exclusão sejam adotados por um fundo. Para mais informações relativamente à estratégia de investimento de um fundo, consulte o prospeto do fundo.


Consulte a metodologia MSCI por detrás das métricas de Envolvimento em Negócios, usando as ligações abaixo.

MSCI - Armas Controversas a 27 jan 2023 0,00%
MSCI - Infratores do Pacto Global da ONU a 27 jan 2023 0,00%
MSCI - Armas Nucleares a 27 jan 2023 0,00%
MSCI - Carvão Térmico a 27 jan 2023 0,00%
MSCI - Armas de fogo para civis a 27 jan 2023 0,00%
MSCI - Areias Petrolíferas a 27 jan 2023 0,00%
MSCI – Tabaco a 27 jan 2023 0,00%

Cobertura de envolvimento em negócios a 27 jan 2023 100,00%
Percentagem do Fundo sem cobertura a 27 jan 2023 0,00%
As exposições ao envolvimento em negócios da BlackRock indicadas acima para carvão térmico e areias petrolíferas são calculadas e reportadas para empresas que gerem mais de 5% do rendimento do carvão térmico ou areias petrolíferas conforme definido pela investigação de ASG da MSCI. A exposição a empresas que geram qualquer rendimento de carvão térmico ou areias petrolíferas (a um limiar de rendimento de 0%), conforme definido pela pesquisa ASG da MSCI, é a seguinte: Carvão térmico 0,00% e areias petrolíferas 2,31%.

As métricas de envolvimento em negócios são calculadas pela BlackRock usando dados da investigação de ASG da MSCI que providenciam um perfil de cada envolvimento em negócios especifico de cada empresa. A BlackRock alavanca estes dados para providenciar uma visão resumida de todas as participações e traduzi-la numa exposição do valor de mercado de um fundo às áreas de envolvimento em negócios acima.


As métricas de Envolvimento em Negócios são concebidas apenas para identificar empresas em que a MSCI levou a cabo investigação e identificou como tendo envolvimento na atividade coberta. Como resultado, é possível que exista um envolvimento adicional nas atividades em que a MSCI não possui cobertura. Esta informação não deverá ser utilizada para produzir listas exaustivas de empresas sem envolvimento. As métricas de envolvimento em negócios são apenas apresentadas se pelo menos 1% do peso bruto do fundo incluir títulos abrangidos pela investigação de ASG da MSCI.

Divulgação de informações relacionadas com a sustentabilidade

Divulgação de informações relacionadas com a sustentabilidade

A presente secção fornece informações relacionadas com a sustentabilidade do Fundo, na aceção do artigo 10.º do SFDR.

A. Resumo

Este Fundo promove características ambientais ou sociais, mas não tem como objetivo o investimento sustentável. O Fundo é gerido passivamente e procura promover as seguintes características ambientais e sociais através da replicação do desempenho do MSCI Europe ESG Enhanced Focus CTB Index, o seu Índice de Referência: (1) exclusão de emitentes considerados como estando envolvidos em certas atividades consideradas como tendo resultados ambientais e/ou sociais negativos; (2) exclusão de emitentes considerados como tendo violado os princípios do Pacto Global das Nações Unidas; (3) exclusão de emitentes considerados como estando envolvidos em controvérsias muito graves relativas aos fatores ESG ou controvérsias ambientais graves; (4) exposição a emitentes com classificações ambientais, sociais e de governação (ESG) mais elevada; (5) exposição a emitentes que foram selecionados e ponderados para se alinharem com os compromissos climáticos estabelecidos no Acordo de Paris; e (6) exposição a investimentos qualificados como investimentos sustentáveis.

Embora o Fundo não tenha como objetivo o investimento sustentável, terá uma proporção mínima de investimentos sustentáveis. A BlackRock define investimento sustentável como investimentos em emitentes ou títulos que contribuem para um objetivo ambiental ou social, que não prejudicam significativamente nenhum desses objetivos e nos quais as empresas beneficiárias do investimento seguem práticas de boa governação. Ao investir numa carteira de títulos que, na medida do possível e praticável, consiste nos títulos componentes do Índice de Referência do Fundo, uma proporção dos investimentos do Fundo será qualificada como investimentos sustentáveis.

Os investimentos do Fundo qualificados como investimentos sustentáveis serão efetuados em: (1) atividades consideradas como contribuindo para impactos ambientais e/ou sociais positivos, ou (2) empresas que se tenham comprometido com um ou mais objetivos de redução ativa de emissões de carbono aprovados pela iniciativa "Science Based Targets".

Em cada reequilíbrio do índice, todos os investimentos qualificados como sustentáveis são avaliados em relação a certos indicadores ambientais e sociais mínimos. Quando um investimento tiver sido identificado como estando associado a atividades consideradas como tendo impactos ambientais e sociais extremamente negativos, o mesmo não será elegível como um investimento sustentável.

A política de investimento do Fundo consiste em investir numa carteira de títulos que, na medida do possível e praticável, consiste nos títulos componentes do Índice de Referência e que, assim, cumprem as características ESG do seu Índice de Referência (tal como descrito em maior pormenor na Secção D. Estratégia de Investimento abaixo). Através do investimento nos constituintes do seu Índice de Referência, a estratégia de investimento do Fundo permite que o Índice cumpra os requisitos ESG do seu Índice de Referência conforme determinado pelo fornecedor do índice. O Fundo tem em consideração os principais impactos negativos sobre os fatores de sustentabilidade através da replicação do Índice de Referência que incorpora certos critérios ESG na seleção dos constituintes do índice.

O Fundo procura investir numa carteira de títulos que, na medida do possível e praticável, consiste nos títulos componentes do Índice de Referência. Espera-se que pelo menos 80% dos ativos do Fundo sejam investidos em títulos do Índice de Referência. Atualmente, o Fundo não se compromete a investir mais de 0% dos seus ativos em investimentos sustentáveis com um objetivo ambiental alinhado com a taxonomia da UE.

O Fundo procura replicar o desempenho do Índice de Referência que incorpora certos critérios ESG na seleção dos constituintes, de acordo com a sua metodologia. A BlackRock monitoriza o cumprimento pelo Fundo das características ambientais e sociais que o Fundo procura promover. O objetivo do Fundo é replicar o desempenho do Índice de Referência. As características ambientais e/ou sociais do Fundo estão incorporadas na metodologia do Índice de Referência e o Fundo é monitorizado de uma forma que procura identificar exceções aos compromissos sustentáveis do Fundo que são satisfeitos em cada reequilíbrio.

Os Gestores de Carteiras da BlackRock têm acesso a research, dados, ferramentas e análises para integrar os conhecimentos em matéria de ESG no seu processo de investimento. Os conjuntos de dados em matéria de ESG são provenientes de fornecedores de índices e fornecedores de dados externos, incluindo, entre outros, a MSCI, a Sustainalytics, a Refinitiv, a S&P e a Clarity AI. Os processos internos da BlackRock estão centrados no fornecimento de dados normalizados e consistentes de alta qualidade para serem utilizados por profissionais de investimento e para fins de transparência e apresentação de relatórios. Os dados, incluindo dados em matéria de ESG, recebidos através das nossas interfaces existentes são processados através de uma série de verificações de controlo de qualidade e integralidade que procura assegurar a elevada qualidade dos dados antes de serem disponibilizados para utilização a jusante nos sistemas e aplicações da BlackRock, tais como o Aladdin.

A BlackRock aplica um processo de diligência devida abrangente para avaliar as ofertas dos fornecedores com revisões metodológicas altamente direcionadas e avaliações de cobertura baseadas na estratégia de investimento sustentável (e as características ambientais e sociais ou o objetivo de investimento sustentável) do produto. O nosso processo implica uma análise qualitativa e quantitativa para avaliar a adequação dos produtos de dados em conformidade com as normas regulamentares, conforme aplicável.

O investimento sustentável e a compreensão da sustentabilidade estão a evoluir juntamente com o ambiente de dados. Os intervenientes do setor, incluindo os fornecedores de índices, enfrentam desafios na identificação de uma única medida ou conjunto de medidas normalizadas para fornecer uma visão completa sobre uma empresa ou um investimento. Os conjuntos de dados ESG estão são sujeitos a alterações e melhorias contínuas à medida que as normas de divulgação, os quadros regulamentares e as práticas do setor evoluem. Poderão existir algumas circunstâncias em que os dados estejam indisponíveis, incompletos ou inexatos. Apesar de esforços razoáveis, as informações poderão não estar sempre disponíveis, caso em que será efetuada uma avaliação pelo fornecedor do índice com base no seu conhecimento do investimento ou setor. Em certos casos, os dados podem refletir ações tomadas apenas posteriormente pelos emitentes e não refletem todos os potenciais casos de prejuízo significativo.

O Gestor de Investimentos efetua as diligências devidas junto dos fornecedores dos índices e envolve-se com estes numa base contínua no que respeita às metodologias, incluindo a sua avaliação dos critérios de boa governação estabelecidos pelo SFDR, que incluem estruturas de gestão sólidas, relações de laborais, remuneração do pessoal e cumprimento das obrigações fiscais ao nível das empresas beneficiárias do investimento.

O Gestor de Investimentos não tem um envolvimento direto com as empresas/emitentes do Índice de Referência como parte da estratégia de investimento do Fundo. O Gestor de Investimentos envolver-se-á diretamente com os fornecedores do índice e dos dados para assegurar uma melhor análise e estabilidade das medidas ESG. Na BlackRock, o envolvimento com as empresas nas quais investimos os ativos dos nossos clientes ocorre a vários níveis. Quando as equipas de investimento optam por alavancar o envolvimento, este pode assumir uma variedade de formas mas, essencialmente, a equipa de gestão de carteiras procuraria ter um diálogo regular e contínuo com diretores ou administradores das empresas beneficiárias do investimento envolvidas, a fim de promover uma boa governação e práticas comerciais sustentáveis orientadas para as características ESG e principais indicadores negativos identificados, bem como para compreender a eficácia da gestão e supervisão das atividades da empresa destinadas a abordar as questões em matéria de ESG. O envolvimento também permite à equipa de gestão de carteiras fornecer feedback sobre as práticas e divulgações da empresa.

O Índice de Referência foi designado como um índice de referência específico para determinar se o fundo está alinhado com as características ambientais e/ou sociais que promove.

B. Produto sem objetivo de investimento sustentável

Este Fundo promove características ambientais ou sociais, mas não tem como objetivo o investimento sustentável.

Embora o Fundo não tenha como objetivo o investimento sustentável, terá uma proporção mínima de investimentos sustentáveis. Ao investir numa carteira de títulos de capital que, na medida do possível e praticável, consiste nos títulos componentes do Índice de Referência do Fundo, uma proporção dos investimentos do Fundo será qualificada como investimentos sustentáveis.

Os investimentos do Fundo qualificados como investimentos sustentáveis serão efetuados em: (1) atividades consideradas como contribuindo para impactos ambientais e/ou sociais positivos, ou (2) empresas que se tenham comprometido com um ou mais objetivos de redução ativa de emissões de carbono aprovados pela iniciativa "Science Based Targets".

Em cada reequilíbrio do índice, todos os investimentos qualificados como sustentáveis são avaliados pelo fornecedor do índice em relação a certos indicadores ambientais e sociais mínimos. Como parte dos critérios de seleção aplicados pelo fornecedor do índice, as empresas são avaliadas quanto ao seu envolvimento em atividades consideradas como tendo impactos ambientais e sociais extremamente negativos. Quando o fornecedor do índice identificar uma empresa como estando envolvida em atividades com impactos ambientais e sociais extremamente negativos, a mesma não será elegível como um investimento sustentável. Através da replicação do Índice de Referência que incorpora estas avaliações relativas aos fatores ambientais e sociais, o Gestor de Investimentos determinou que, em cada reequilíbrio do índice (ou assim que possível e praticável), os investimentos do Fundo qualificados como sustentáveis não prejudicarão significativamente qualquer objetivo ambiental ou social sustentável na aceção da legislação e regulamentação aplicáveis.  

Os indicadores obrigatórios de impactos negativos sobre os fatores de sustentabilidade (tal como definidos nas Normas Técnicas de Regulamentação (RTS) ao abrigo do SFDR) são considerados em cada reequilíbrio do índice através dos critérios de seleção aplicados pelo fornecedor do índice na seleção dos constituintes do índice qualificados como sustentáveis.

Como resultado dos critérios de seleção aplicados pelo fornecedor do índice, os seguintes investimentos do Índice de Referência não serão qualificados como investimentos sustentáveis: (1) empresas que obtêm um mínimo de % de receitas do carvão térmico (conforme determinado pelo fornecedor do índice) que apresenta uma elevada intensidade de carbono e contribui significativamente para as emissões de gases com efeito de estufa (tendo em conta os indicadores relativos às emissões de GEE) (2) empresas com uma classificação de controvérsia ESG "laranja" da MSCI consideradas como tendo estando envolvidas em controvérsias ESG graves (incluindo em relação aos indicadores relativos às emissões de gases com efeito de estufa, biodiversidade, água, resíduos e questões sociais e laborais), e (3) empresas com uma classificação ESG da MSCI igual ou inferior a B, consideradas como sendo empresas menos desenvolvidas do setor com base na sua elevada exposição e incapacidade de gerir riscos significativos em matéria de ESG (incluindo em relação aos indicadores relativos às emissões de gases com efeito de estufa, biodiversidade, água, resíduos, disparidades salariais não ajustadas entre géneros e ampla diversidade de géneros).

Em cada reequilíbrio do índice, o Índice de Referência também exclui: (1) empresas com uma classificação de controvérsia ESG "vermelha" da MSCI que inclui empresas determinadas como estando em violação das normas internacionais e/ou nacionais (tendo em conta os indicadores relacionados com violações dos princípios do Pacto Global das Nações Unidas e das Diretrizes da OCDE para as Empresas Multinacionais), e (2) empresas determinadas como tendo qualquer ligação a armas controversas (tendo em conta os indicadores relativos a ligações a armas controversas). 

O Índice de Referência do Fundo exclui os emitentes com uma classificação de controvérsia ESG "vermelha", o que exclui emitentes que tenham sido determinados pelo fornecedor do índice como estando em violação dos Princípios Orientadores das Nações Unidas sobre Empresas e Direitos Humanos e das Diretrizes da OCDE para as Empresas Multinacionais. O Índice de Referência aplica os critérios de exclusão acima indicados em cada reequilíbrio do índice.  

C. Características ambientais ou sociais do produto financeiro

O Fundo é gerido passivamente e procura promover as seguintes características ambientais e sociais através da replicação do desempenho do MSCI Europe ESG Enhanced Focus CTB Index, o seu Índice de Referência:
1.exclusão de emitentes considerados como estando envolvidos em certas atividades consideradas como tendo resultados ambientais e/ou sociais negativos;
2.exclusão de emitentes considerados como tendo violado os princípios do Pacto Global das Nações Unidas;
3.exclusão de emitentes considerados como estando envolvidos em controvérsias muito graves relativas aos fatores ESG ou controvérsias ambientais graves;
4.exposição a emitentes com classificações ambientais, sociais e de governação (ESG) mais elevadas;
5.exposição aos emitentes que foram selecionados e ponderados para se alinharem com os compromissos climáticos estabelecidos no Acordo de Paris; e
6.exposição a investimentos qualificados como investimentos sustentáveis.

Estas características ambientais e sociais são incorporadas através da seleção e ponderação dos constituintes no Índice de Referência do Fundo em cada reequilíbrio do índice (tal como descrito abaixo). O Índice de Referência foi identificado pelo fornecedor do índice como um índice de referência da UE para a transição climática ("CTB") (na aceção do Regulamento Índices de Referência) e, por conseguinte, tem de ser construído de acordo com as normas mínimas prescritas pelo Regulamento Índices de Referência no que respeita aos critérios de seleção, ponderação e, quando aplicável, exclusão dos ativos subjacentes, para se alinhar com os compromissos climáticos estabelecidos no Acordo de Paris.

O Índice de Referência exclui os emitentes do MSCI Europe Index (o "Índice Principal") com base no seu envolvimento em certas atividades consideradas como tendo resultados ambientais ou sociais negativos. Os emitentes são excluídos do Índice de Referência com base no seu envolvimento nas seguintes atividades/segmentos de atividade (ou atividades relacionadas):
•armas controversas
•armas nucleares
•armas de fogo civis
•tabaco
•carvão térmico
•armas convencionais
•petróleo e gás não convencionais

O fornecedor do índice define o que se entende por "envolvimento" em cada atividade restrita. Isto pode basear-se numa percentagem das receitas, num limite de receitas total definido ou em qualquer ligação a uma atividade restrita, independentemente do montante das receitas recebidas.

O Índice de Referência também exclui os emitentes do Índice Principal que são classificados como estando em violação dos princípios do Pacto Global das Nações Unidas (que são princípios de sustentabilidade empresarial amplamente aceites que cumprem responsabilidades fundamentais em áreas, tais como o combate à corrupção, os direitos humanos, laboral e ambiental) ou que possuem uma classificação de controvérsia ESG "vermelha" ou uma classificação de controvérsia ambiental "laranja" da MSCI (ambas baseadas numa classificação de controvérsia da MSCI). Uma classificação de controvérsia da MSCI mede o envolvimento (ou alegado envolvimento) de um emitente em controvérsias graves com base numa avaliação das atividades e/ou produtos do emitentes que são considerados como tendo um impacto ESG negativo. Uma classificação de controvérsia da MSCI pode considerar o envolvimento em atividades com um impacto negativo relativamente a questões ambientais tais como questões relativas à biodiversidade e ordenamento territorial, à energia e alterações climáticas, ao stress hídrico, às emissões tóxicas e resíduos. Uma classificação de controvérsia da MSCI também pode considerar o envolvimento em atividades com um impacto negativo relativamente a questões sociais tais como direitos humanos, relações de gestão laborais, discriminação e diversidade da força de trabalho.

As empresas também são classificadas pelo fornecedor do índice com base na sua capacidade de gerir os seus riscos e oportunidades ESG e recebem uma classificação ESG da MSCI. É concebida uma classificação ESG da MSCI para medir a resiliência de um emitente aos riscos ESG significativos para a indústria a longo prazo e a forma como gere os riscos e oportunidades ESG relativamente aos seus homólogos. O fornecedor do índice pode considerar os seguintes temas ambientais quando determina a classificação ESG de um emitente como parte da metodologia de classificação ESG: mitigação das alterações climáticas com base nas emissões de gases com efeito de estufa, resíduos e outras emissões, ordenamento territorial e biodiversidade. O fornecedor do índice também pode considerar os seguintes temas sociais quando determina a classificação ESG de um emitente como parte da metodologia de classificação ESG: acesso a serviços básicos, relações comunitárias, privacidade e segurança dos dados, capital humano, saúde e segurança e governação dos produtos. A metodologia de classificação ESG da MSCI reconhece que certas questões ambientais e sociais são mais relevantes, com base no tipo de atividade em que o emitente está envolvido, ao classificar as emissões de forma diferente na metodologia de pontuação. Esses emitentes com classificações ESG da MSCI mais elevadas são determinados pelo fornecedor do índice como sendo os emitentes que podem estar melhor posicionados para gerir futuros desafios e riscos relativos aos fatores ESG em comparação com os seus homólogos.

Os emitentes que não foram avaliados ou classificados pelo fornecedor do índice relativamente a uma classificação de controvérsia ESG da MSCI são excluídos do Índice de Referência.

Após a aplicação dos critérios de exclusão acima referidos, os constituintes do Índice de Referência são selecionados e ponderados através do processo de otimização do fornecedor do índice em cada reequilíbrio do índice que procura:
•reduzir a intensidade média ponderada das emissões de gases com efeito de estufa (GEE) (Âmbito 1+2+3) em 30% em comparação com o Índice Principal;
•reduzir a intensidade média ponderada das emissões de GEE (Âmbito 1+2+3) em 7% anualmente;
•reduzir a intensidade média ponderada das emissões potenciais de GEE (Âmbito 1+2+3) em 30% em comparação com o Índice Principal;
•aumentar a exposição ponderada a empresas com objetivos credíveis de redução de carbono em pelo menos 10%;
•otimizar a exposição a setores com um impacto elevado nas alterações climáticas que seja pelo menos equivalente ao Índice Principal (para se alinhar com o objetivo de um CTB);
•visar um rácio médio ponderado de receitas de obrigações verdes globais relativamente às receitas baseadas em combustíveis fósseis que seja pelo menos equivalente ao Índice Principal; e
•visar empresas com classificações ESG mais elevadas em cada setor do Índice Principal.

Para mais informações sobre onde poderá encontrar detalhes acerca da metodologia do Índice de Referência, consulte a "Secção L - Índice de Referência".

D. Estratégia de investimento

A política de investimento do Fundo consiste em investir numa carteira de títulos de capital que, na medida do possível e praticável, consiste nos títulos componentes do Índice de Referência e que, assim, cumprem as características ESG do seu Índice de Referência. A metodologia do seu Índice de Referência está descrita acima (consulte a "Secção C - Características ambientais ou sociais do produto financeiro").

Através do investimento nos constituintes do seu Índice de Referência, a estratégia de investimento do Fundo permite que o Índice cumpra os requisitos ESG do seu Índice de Referência conforme determinado pelo fornecedor do índice. No caso de quaisquer investimentos deixarem de cumprir os critérios, o Fundo poderá continuar a deter esses investimentos apenas até que os títulos relevantes deixem de fazer parte do Índice de Referência e seja possível e praticável (na opinião do Gestor de Investimentos) liquidar a posição.

O Fundo poderá utilizar técnicas de otimização a fim de obter um retorno semelhante ao Índice de Referência, ou seja, é permitido investir em títulos que não sejam constituintes subjacentes do Índice de Referência, sempre que esses títulos tenham um desempenho semelhante (com um perfil de risco equivalente) a certos títulos que compõem o Índice de Referência. Se o Fundo proceder desta forma, a sua estratégia de investimento será investir apenas em emitentes do Índice de Referência ou em emitentes que satisfaçam os requisitos ESG do Índice de Referência no momento da compra. Se esses títulos deixarem de cumprir os requisitos ESG do Índice de Referência, o Fundo apenas poderá deter esses títulos até ao próximo reequilíbrio da carteira e até ser possível e praticável (na opinião do Gestor de Investimentos) liquidar a posição.

A estratégia é implementada em cada reequilíbrio da carteira do Fundo que segue o reequilíbrio do índice do seu Índice de Referência.

Os elementos vinculativos da estratégia de investimento indicam que o Fundo investirá numa carteira de títulos de capital que, na medida do possível e praticável, consiste nos títulos componentes do Índice de Referência e que, assim, cumprem as características ESG do seu Índice de Referência.

Uma vez que o Fundo é capaz de utilizar técnicas de otimização e pode investir em títulos que não sejam constituintes subjacentes do Índice de Referência, quando assim o faz, a sua estratégia de investimento será investir apenas em emitentes no Índice de Referência ou em emitentes que satisfaçam os requisitos ESG do Índice de Referência no momento da compra.

No caso de quaisquer investimentos deixarem de cumprir os requisitos ESG do Índice de Referência, o Fundo poderá continuar a deter esses investimentos apenas até que os títulos relevantes deixem de fazer parte do Índice de Referência e/ou seja possível e praticável (na opinião do Gestor de Investimentos) liquidar a posição.

Consideração dos principais impactos negativos (PIN) sobre os fatores de sustentabilidade

O Fundo tem em consideração os principais impactos negativos sobre os fatores de sustentabilidade através da replicação do Índice de Referência que incorpora certos critérios ESG na seleção dos constituintes do índice. O Gestor de Investimentos determinou que esses principais impactos negativos (PIN) listados abaixo são considerados como parte dos critérios de seleção do Índice de Referência em cada reequilíbrio do índice:
• Emissões de GEE
• Pegada de carbono
• Intensidade dos GEE nas empresas beneficiárias do investimento.
• Parte dos investimentos em empresas ativas no setor dos combustíveis fósseis.
• Quota-parte dos investimentos em empresas beneficiárias do investimento que possuem instalações/operações localizadas no interior ou próximo de zonas sensíveis do ponto de vista da diversidade, quando as atividades dessas empresas beneficiárias do investimento tiverem um impacto negativo nessas zonas.
• Toneladas de emissões para o meio aquático geradas pelas empresas beneficiárias do investimento por milhão de euros investidos, expressas como uma média ponderada.
• Toneladas de resíduos perigosos gerados pelas empresas beneficiárias do investimento por milhão de euros investidos, expressas como uma média ponderada.
• Parte dos investimentos em empresas beneficiárias do investimento que estiveram envolvidas em violações dos princípios do Pacto Global da ONU e das Diretrizes da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) para as Empresas Multinacionais.
• Parte dos investimentos em empresas beneficiárias do investimento envolvidas no fabrico ou venda de armas controversas.

O relatório anual do Fundo incluirá informações sobre os principais impactos negativos nos fatores de sustentabilidade abaixo estabelecidos.

Política de boa governação

Os relatórios de boa governação são incorporados na metodologia do Índice de Referência. Em cada reequilíbrio do índice, o fornecedor do índice exclui as empresas do Índice de Referência com base numa classificação de controvérsia ESG (que mede o envolvimento de um emitente em controvérsias relativas aos fatores ESG) e exclui as empresas classificadas como estando em violação dos princípios do Pacto Global das Nações Unidas (consulte a "Secção C - Características ambientais ou sociais do produto financeiro"). 

E. Proporção dos Investimentos

O Fundo procura investir numa carteira de títulos que, na medida do possível e praticável, consiste nos títulos componentes do Índice de Referência.

Espera-se que pelo menos 80% dos ativos do Fundo sejam investidos em títulos do Índice de Referência. Como tal, em cada reequilíbrio do índice (ou assim que razoavelmente possível e praticável), a carteira do Fundo será reequilibrada de acordo com o seu Índice de Referência, de modo a que pelo menos 80% dos ativos do Fundo sejam alinhados com as características ESG do Índice de Referência (isto inclui 30% dos ativos do Fundo qualificados como investimentos sustentáveis) (conforme determinado nesse reequilíbrio).

No caso de quaisquer investimentos deixarem de cumprir os requisitos ESG do Índice de Referência, o Fundo poderá continuar a deter esses investimentos até que os títulos relevantes deixem de fazer parte do Índice de Referência e seja possível e praticável (na opinião do Gestor de Investimentos) liquidar a posição.

A avaliação dos investimentos do Fundo qualificados como sustentáveis é determinada em cada reequilíbrio do índice ou próximo desse reequilíbrio, quando a carteira do Fundo é reequilibrada de acordo com o seu Índice de Referência. Sempre que um investimento deixa de ser qualificado como um investimento sustentável entre reequilíbrios do índice, as participações do Fundo em investimentos sustentáveis podem descer abaixo da proporção mínima de investimentos sustentáveis.  

O Fundo pode investir até 20% dos seus ativos noutros investimentos. 

O Fundo pode utilizar derivados para efeitos de investimento e para efeitos de uma gestão eficaz da carteira em relação às características ambientais ou sociais promovidas pelo Fundo. Quando o Fundo utiliza derivados para promover características ambientais ou sociais, quaisquer classificações ou análises ESG referidas acima aplicar-se-ão ao investimento subjacente.

Atualmente, o Fundo não se compromete a investir mais de 0% dos seus ativos em investimentos sustentáveis com um objetivo ambiental alinhado com a taxonomia da UE.

Este Fundo não se compromete a investir mais de 0% dos seus ativos em atividades de transição e capacitantes, na aceção do Regulamento da taxonomia.

Pelo menos 30% dos ativos do Fundo serão investidos em investimentos sustentáveis. Estes investimentos sustentáveis serão uma mistura de investimentos sustentáveis com um objetivo ambiental que não está empenhado no alinhamento com a taxonomia da UE ou um objetivo social ou uma combinação de ambos. A combinação de investimentos sustentáveis com um objetivo ambiental ou social poderá sofrer alterações com o tempo, em função das atividades dos emitentes do Índice de Referência. A avaliação dos investimentos do Fundo qualificados como sustentáveis é determinada em cada reequilíbrio do índice ou próximo desse reequilíbrio, quando a carteira do Fundo é reequilibrada de acordo com o seu Índice de Referência.

As outras participações podem incluir numerário, fundos do mercado monetário e derivados. Esses investimentos só podem ser utilizados para efeitos de gestão eficiente da carteira, exceto no caso de derivados utilizados para cobertura cambial de qualquer classe de ações com cobertura cambial.

Quaisquer classificações ou análises ESG aplicadas pelo fornecedor do índice aplicar-se-ão apenas aos derivados relativos aos emitentes particulares utilizados pelo Fundo. Os derivados baseados em índices financeiros, taxas de juro, ou instrumentos cambiais não serão considerados à luz das salvaguardas ambientais ou sociais mínimas.

F. Monitorização das características ambientais ou sociais

Monitorização contínua da integridade do produto

A BlackRock monitoriza o cumprimento pelo Fundo das características ambientais e sociais que o Fundo procura promover. O objetivo do Fundo é replicar o desempenho do Índice de Referência. As características ambientais e/ou sociais do Fundo estão incorporadas na metodologia do Índice de Referência e o Fundo é monitorizado de uma forma que procura identificar exceções aos compromissos sustentáveis do Fundo que são satisfeitos em cada reequilíbrio.

A BlackRock monitoriza os dados ao nível do Fundo e do índice para verificar o cumprimento destas características por parte do Fundo em cada reequilíbrio.

A BlackRock também monitoriza o erro de replicação do Fundo e comunica-o aos investidores como parte do relatório e contas anuais e semestrais. As informações sobre o erro de replicação previsto também são publicadas no prospeto do Fundo.

G. Metodologias

O Fundo procura replicar o desempenho do Índice de Referência que incorpora certos critérios ESG na seleção dos constituintes, de acordo com a sua metodologia (delineada acima na Secção C e detalhada na secção L).

Metodologias

Além disso, são utilizadas as seguintes metodologias para aferir a forma como são cumpridas as características ambientais ou sociais promovidas pelo Fundo:

O Índice de Referência utiliza dados da MSCI relativos aos objetivos de redução de carbono das empresas. Para mais informações, consulte a metodologia do índice.

O Índice de Referência utiliza dados ESG controversy da MSCI. Para mais informações, https://www.msci.com/documents/10199/acbe7c8a-a4e4-49de-9cf8-5e957245b86b

O Índice de Referência utiliza a metodologia de classificação ESG da MSCI. Para mais informações, https://www.msci.com/our-solutions/esg-investing/esg-ratings

O Índice de Referência utiliza avaliações de participação das empresas da MSCI e avaliações do Pacto Global da ONU. Para mais informações, https://www.msci.com/documents/1296102/1636401/MSCI_ESG_BIS_Research_Productsheet_April+2015.pdf/babff66f-d1d6-4308-b63d-57fb7c5ccfa9

O fundo utiliza dados do MSCI Greenhouse Gas Intensity. Para mais informações, https://www.msci.com/index-carbon-footprint-metrics

O Índice de Referência utiliza dados Weighted Average Potential Emissions Intensity da MSCI. Para mais informações, consulte a metodologia do índice.

O Índice de Referência utiliza dados Weighted Average Green Revenue / Weighted Average Fossil Fuels-based Revenue da MSCI. Para mais informações, consulte a metodologia do índice.

O Índice de Referência utiliza avaliações adicionais. Para mais informações, consulte a metodologia do índice.

Metodologia de Investimentos Sustentáveis

Os investimentos sustentáveis são identificados com base numa avaliação em quatro partes:
(i) Contribuição da atividade económica para os objetivos ambientais e/ou sociais;
(ii) Não prejudicar significativamente;
(iii) Cumpre as salvaguardas mínimas; e
(iv) Boa governação (quando relevante)

É necessário que um investimento satisfaça os quatro membros deste teste para ser considerado um "Investimento Sustentável". Os Investimentos Sustentáveis estão sujeitos a um sólido processo de supervisão para assegurar que as normas regulamentares são cumpridas.

(i) Contribuição da atividade económica para os objetivos ambientais e/ou sociais

Objetivos ambientais e sociais
A BlackRock identifica os Investimentos Sustentáveis que contribuem para uma série de objetivos ambientais e/ou sociais, os quais podem incluir, entre outros, energia alternativa e renovável, eficiência energética, prevenção ou atenuação da poluição, reutilização e reciclagem, saúde, nutrição, saneamento e educação e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e outros quadros relacionados com a sustentabilidade (no seu conjunto, os "Objetivos Ambientais e Sociais").

Avaliação da atividade económica
Um investimento será um Investimento Sustentável (sujeito à satisfação dos outros três membros):

Atividade comercial
• Quando 20% ou mais das suas receitas atribuíveis a produtos e/ou serviços são sistematicamente mapeados como contribuindo para os Objetivos Ambientais e/ou Sociais, utilizando dados de fornecedores terceiros.

Práticas comerciais
• Quando o emitente tiver estabelecido um objetivo de descarbonização de acordo com as iniciativas "Science Based Targets" validadas por dados de fornecedores terceiros. As iniciativas "Science Based Targets" procuram fornecer um caminho definido de forma clara para que as empresas e instituições financeiras reduzam as emissões de gases com efeito de estufa (GEE) para se alinharem com os objetivos do Acordo de Paris e ajudarem a evitar os piores impactos das alterações climáticas.

Títulos de rendimento fixo
• Quando um fundo investe numa obrigação de utilização das receitas, esta será um Investimento Sustentável em que a utilização das receitas contribui substancialmente para um Objetivo Ambiental e/ou Social, tal como determinado pela avaliação fundamental.

Os Investimentos Sustentáveis de um fundo podem ter quaisquer um ou todos os Objetivos Ambientais e/ou Sociais acima mencionados, dependendo da estratégia de investimento do fundo. Ao identificar quais participações subjacentes são Investimentos Sustentáveis, a BlackRock pode ter em conta a avaliação do fornecedor do índice sobre investimentos sustentáveis, ou quaisquer outros critérios de exclusão incorporados na metodologia do índice de referência do fundo.

(ii) Não prejudicar significativamente («NPS»)

Em cada reequilíbrio do índice, todos os investimentos qualificados como sustentáveis são avaliados em relação a certos indicadores ambientais e sociais mínimos. Como parte da avaliação, as empresas são avaliadas quanto ao seu envolvimento em atividades consideradas como tendo impactos ambientais e sociais extremamente negativos. Quando uma empresa tiver sido identificada como estando envolvida em atividades com impactos ambientais e sociais extremamente negativos, a mesma não será elegível como um investimento sustentável.

Quando um fundo investe em obrigações de utilização das receitas, tais como obrigações verdes, a avaliação será conduzida a nível de emissão com base na utilização das receitas das obrigações que devem ser formal e exclusivamente aplicadas para promover o clima ou outros objetivos de sustentabilidade ambiental ou social. Além disso, são incorporadas certas salvaguardas mínimas e exclusões de elegibilidade na seleção de obrigações verdes para evitar a exposição a obrigações associadas a atividades consideradas como tendo impactos ambientais e sociais extremamente negativos

Os indicadores obrigatórios de impactos negativos sobre os fatores de sustentabilidade (tal como definidos nas Normas Técnicas de Regulamentação (RTS) ao abrigo do SFDR) são considerados em cada reequilíbrio do índice através da avaliação dos investimentos do Fundo qualificados como sustentáveis.

Na sequência desta avaliação, os seguintes investimentos não serão qualificados como Investimentos Sustentáveis: (1) empresas que se considera terem obtido pelo menos 1% das suas receitas do carvão térmico que apresenta uma elevada intensidade de carbono e contribui significativamente para as emissões de gases com efeito de estufa (tendo em conta os indicadores relativos às emissões de GEE) (2) empresas consideradas como tendo estando envolvidas em controvérsias graves relativas aos fatores ESG (tendo em conta os indicadores relativos às emissões de gases com efeito de estufa, biodiversidade, água, resíduos e questões sociais e laborais), e (3) empresas consideradas como sendo empresas menos desenvolvidas do setor com base na sua elevada exposição e incapacidade de gerir riscos significativos em matéria de ESG (tendo em conta os indicadores relativos às emissões de gases com efeito de estufa, biodiversidade, água, resíduos, disparidades salariais não ajustadas entre géneros e ampla diversidade de géneros).

Além disso, as empresas classificadas como estando em violação ou em risco de violar as regras e normas internacionais amplamente aceites consagradas nos Princípios do Pacto Global das Nações Unidas (Pacto Global da ONU), nas Diretrizes da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) para as Empresas Multinacionais, nos Princípios Orientadores das Nações Unidas sobre Empresas e Direitos Humanos e nas suas convenções subjacentes, não serão qualificadas como Investimentos Sustentáveis. As empresas determinadas como tendo qualquer ligação a armas controversas (tendo em conta os indicadores relativos a ligações a armas controversas) não serão qualificados como Investimentos Sustentáveis.

(iii) Cumpre as salvaguardas mínimas

Os emitentes classificados como estando em violação ou em risco de violar as regras e normas internacionais amplamente aceites consagradas nos Princípios do Pacto Global da ONU, nas Diretrizes da OCDE para as Empresas Multinacionais, nos Princípios Orientadores das Nações Unidas sobre Empresas e Direitos Humanos e nas suas convenções subjacentes, não serão qualificados como Investimentos Sustentáveis.

Boa Governação

Os relatórios de boa governação são incorporados na metodologia do Índice de Referência. Em cada reequilíbrio do índice, o fornecedor do índice exclui as empresas do Índice de Referência com base numa classificação de controvérsia ESG (que mede o envolvimento de um emitente em controvérsias relativas aos fatores ESG) e exclui as empresas classificadas como estando em violação dos princípios do Pacto Global da ONU.

H. Fontes e tratamento dos dados

Fontes de Dados

Os Gestores de Carteiras da BlackRock têm acesso a research, dados, ferramentas e análises para integrar os conhecimentos em matéria de ESG no seu processo de investimento. O Aladdin é o sistema operacional que liga os dados, as pessoas e a tecnologia necessários para gerir as carteiras em tempo real, bem como o motor por detrás das capacidades analíticas e de elaboração de relatórios ESG da BlackRock. Os Gestores de Carteiras da BlackRock utilizam o Aladdin para tomar decisões de investimento, monitorizar carteiras e aceder a informações do índice que informam o processo de investimento para atingir as características ESG do Fundo.

Os conjuntos de dados em matéria de ESG são provenientes de fornecedores de índices e fornecedores de dados externos, incluindo, entre outros, a MSCI, a Sustainalytics, a Refinitiv, a S&P e a Clarity AI. Estes conjuntos de dados podem incluir classificações ESG, dados de emissões de carbono, controvérsias ou medidas de envolvimento das empresas e foram incorporados em ferramentas Aladdin que estão à disposição dos Gestores de Carteiras e são aplicados nas estratégias de investimento da BlackRock. Essas ferramentas apoiam todo o processo de investimento, desde o research, à construção e modelização de carteiras, até à elaboração de relatórios.

Medidas adotadas para assegurar a Qualidade dos Dados

A BlackRock aplica um processo de diligência devida abrangente para avaliar as ofertas dos fornecedores com revisões metodológicas altamente direcionadas e avaliações de cobertura baseadas na estratégia de investimento sustentável (e as características ambientais e sociais ou o objetivo de investimento sustentável) do produto. O nosso processo implica uma análise qualitativa e quantitativa para avaliar a adequação dos produtos de dados em conformidade com as normas regulamentares, conforme aplicável.

Avaliamos os dados e fornecedores em matéria de ESG em cinco áreas centrais descritas abaixo:
1. Recolha de Dados: isto inclui, entre outros, a avaliação dos fornecedores de dados subjacentes, fontes de dados subjacentes, tecnologia utilizada para recolher dados, processo para identificar desinformação e qualquer utilização de abordagens de recolha de dados de aprendizagem automática ou humana. Também teremos em consideração as melhorias planeadas.
2. Cobertura de Dados: a nossa avaliação inclui, entre outros, a forma como um pacote de dados proporciona uma cobertura em todo o nosso universo de emitentes e classes de ativos passíveis de investimento. Isto incluirá a consideração do tratamento das empresas-mãe e suas filiais, bem como a utilização de dados estimados ou dados comunicados.
3. Metodologia: a nossa avaliação inclui, entre outros, a consideração das metodologias utilizadas pelos fornecedores terceiros, incluindo a consideração das abordagens de recolha e cálculo, o alinhamento com as normas ou quadros industriais ou regulamentares, os limiares de materialidade e a sua abordagem às lacunas dos dados.
4. Verificação de Dados: a nossa avaliação incluirá, entre outros, a abordagem dos fornecedores terceiros para a verificação dos dados recolhidos e processos de garantia de qualidade, incluindo o seu envolvimento com os emitentes.
5. Atividades: avaliaremos uma variedade de aspetos das atividades dos fornecedores de dados, incluindo, entre outros, as suas políticas e procedimentos (incluindo a consideração de quaisquer conflitos de interesse), a dimensão e experiência das suas equipas de research de dados, os seus programas de formação e a sua utilização de subcontratações a terceiros

Além disso, a BlackRock participa ativamente em quaisquer consultas aos fornecedores relevantes quanto às alterações propostas às metodologias, uma vez que dizem respeito a conjuntos de dados ou metodologias de índice de terceiros, e submete feedback e recomendações abrangentes às equipas técnicas dos fornecedores de dados. A BlackRock tem frequentemente um compromisso contínuo com os fornecedores de dados em matéria de ESG, incluindo fornecedores de índices para se manter a par dos desenvolvimentos do setor.

Como os dados são tratados

Na BlackRock, os nossos processos internos estão centrados no fornecimento de dados normalizados e consistentes de alta qualidade para serem utilizados por profissionais de investimento e para fins de transparência e apresentação de relatórios. Os dados, incluindo dados em matéria de ESG, recebidos através das nossas interfaces existentes e posteriormente processados através de uma série de verificações de controlo de qualidade e integralidade que procura assegurar a elevada qualidade dos dados antes de serem disponibilizados para utilização a jusante nos sistemas e aplicações da BlackRock, tais como o Aladdin. A tecnologia integrada da BlackRock permite-nos compilar dados sobre emitentes e investimentos através de uma variedade de medidas ambientais, sociais e de governação e uma variedade de fornecedores de dados e permite-nos disponibilizá-los às equipas de investimento e outras funções de apoio e controlo, tais como gestão de risco.

Utilização de Dados Estimados

A BlackRock procura recolher o máximo de dados comunicados de empresas através de terceiros fornecedores de dados, no entanto, as normas do setor relativas aos quadros de divulgação ainda estão em evolução, particularmente no que diz respeito aos indicadores prospetivos. Consequentemente, em certos casos dependemos de medidas estimadas ou alternativas dos fornecedores de dados para cobertura do nosso amplo universo de emitentes passíveis de investimento. Devido aos atuais desafios no panorama dos dados, enquanto a BlackRock depende de uma quantidade significativa de dados estimados em todo o nosso universo passível de investimento, cujos níveis podem variar consoante o conjunto de dados, procuramos assegurar que a utilização de estimativas está de acordo com as orientações de regulamentação e que dispomos da documentação necessária e da transparência dos fornecedores de dados sobre as suas metodologias. A BlackRock reconhece a importância de melhorar a sua qualidade e cobertura de dados e continua a desenvolver os conjuntos de dados à disposição dos seus profissionais de investimento e outras equipas. Quando exigido pelos regulamentos locais a nível nacional, os fundos podem declarar explicitamente os níveis de cobertura de dados. A BlackRock procura compreender a utilização dos dados estimados em metodologias do índice e assegurar que as suas abordagens sejam robustas e em conformidade com os requisitos regulamentares e as metodologias do índice aplicáveis.

I. Limitações da metodologia e dos dados

Limitações da Metodologia

O investimento sustentável é um espaço em evolução, tanto em termos de compreensão do setor como dos quadros regulamentares, quer numa base regional quer global. A BlackRock continua a acompanhar a evolução da implementação em curso na UE do seu quadro de investimento sustentável e das suas metodologias de investimento, procurando assegurar o alinhamento à medida que o ambiente regulamentar sofre alterações. Consequentemente, a BlackRock pode atualizar estas divulgações e as metodologias e fontes de dados utilizadas, a qualquer momento no futuro, à medida que a prática do mercado evolui ou que se tornam disponíveis mais orientações de regulamentação.

As avaliações de um Índice de Referência em relação aos seus critérios ESG são geralmente realizadas por um fornecedor do índice apenas nos reequilíbrios do índice. As empresas que satisfizeram anteriormente os critérios de avaliação de um Índice de Referência e que, por conseguinte, foram incluídas no Índice de Referência e no Fundo, podem ser inesperada ou repentinamente afetadas por um evento de controvérsia grave que tenha um impacto negativo no seu preço e, consequentemente, no desempenho do Fundo. Quando estas empresas forem constituintes existentes do Índice de Referência, essas empresas permanecerão no Índice de Referência e, por conseguinte, continuarão a ser detidas pelo Fundo até ao próximo reequilíbrio (ou revisão periódica) agendado quando a empresa relevante deixar de fazer parte do Índice de Referência e for possível e praticável (na opinião do Gestor de Investimentos) liquidar a posição. Assim, um Fundo que replique esse Índice de Referência poderá deixar de satisfazer os critérios ESG entre os reequilíbrios do índice (ou revisões periódicas do índice) até que o Índice de Referência seja reequilibrado novamente de acordo com os seus critérios de índice, altura em que o Fundo também será reequilibrado de acordo com o seu Índice de Referência. Do mesmo modo, as metodologias do índice que se comprometem a investir numa percentagem mínima de Investimentos Sustentáveis também podem descer abaixo desse nível entre reequilíbrios, mas serão reajustadas no reequilíbrio (ou assim que praticável).

As limitações em relação às fontes de dados são referidas abaixo.

Limitações dos Dados

Os conjuntos de dados ESG estão são sujeitos a alterações e melhorias contínuas à medida que as normas de divulgação, os quadros regulamentares e as práticas do setor evoluem. A BlackRock continua a colaborar com uma vasta gama de intervenientes no mercado para melhorar a qualidade dos dados.

Embora cada medida ESG possa ter as suas próprias limitações individuais, as limitações de dados podem ser amplamente consideradas como incluindo, entre outros:
• Falta de disponibilidade de certas medidas ESG devido às diferentes normas de elaboração de relatórios e de divulgação que afetam os emitentes, as áreas geográficas ou os setores.
• Normas de elaboração de relatórios empresariais estatutárias definidas relativas à sustentabilidade que conduzem a diferenças na medida em que as próprias empresas podem apresentar relatórios contraditórios aos critérios regulamentares e, por conseguinte, alguns níveis de cobertura métrica podem ser baixos.
• Utilização e níveis inconsistentes de dados comunicados em comparação com os dados ESG estimados entre diferentes fornecedores de dados, recolhidos em períodos de tempo variados, o que torna a comparabilidade um desafio.
• Os dados estimados pela sua natureza podem variar dos números efetivos com base nos pressupostos ou hipóteses utilizados pelos fornecedores de dados.
• Diferentes opiniões ou avaliações de emitentes devido a diferentes metodologias de fornecedores ou utilização de critérios subjetivos. • A maioria dos relatórios e divulgações em matéria de ESG a nível das empresas realiza-se anualmente e requer um tempo significativo para ser produzido, o que significa que estes dados são produzidos com um atraso em relação aos dados financeiros. Também podem existir frequências de atualização de dados inconsistentes entre diferentes fornecedores de dados incorporando tais dados nos seus conjuntos de dados.
• A cobertura e aplicabilidade dos dados em todas as classes de ativos e indicadores poderá variar.
• Os dados prospetivos, tais como objetivos em matéria de clima, podem variar significativamente do ponto de vista histórico e atual das medidas temporais.

Para mais informações sobre a forma como são calculadas as medidas apresentadas com os indicadores de sustentabilidade, consulte o relatório anual do Fundo.

Investimentos Sustentáveis e Critérios Ambientais e Sociais

O investimento sustentável e a compreensão da sustentabilidade estão a evoluir juntamente com o ambiente de dados. Os intervenientes do setor, incluindo o fornecedor do índice, enfrentam desafios na identificação de uma única medida ou conjunto de medidas normalizadas para fornecer uma visão completa sobre uma empresa ou um investimento. Por conseguinte, a BlackRock estabeleceu um regime para identificar investimentos sustentáveis, tendo em conta os requisitos regulamentares e as metodologias do fornecedor do índice.

A BlackRock aproveita as metodologias e dados do fornecedor do índice terceiro para avaliar se os investimentos prejudicam significativamente e têm boas práticas de governação. Poderão existir algumas circunstâncias em que os dados estejam indisponíveis, incompletos ou inexatos. Apesar de esforços razoáveis, as informações poderão não estar sempre disponíveis, caso em que será efetuada uma avaliação pelo fornecedor do índice com base no seu conhecimento do investimento ou setor. Em certos casos, os dados podem refletir ações tomadas apenas posteriormente pelos emitentes e não refletem todos os potenciais casos de prejuízo significativo.

A BlackRock efetua a diligência devida nas metodologias de investimento sustentável do fornecedor do índice para assegurar o seu alinhamento com os pontos de vista da BlackRock sobre Investimentos Sustentáveis.

J. Diligência devida

O Gestor de Investimentos efetua as diligências devidas junto dos fornecedores dos índices e envolve-se com estes numa base contínua no que respeita às metodologias, incluindo a sua avaliação dos critérios de boa governação estabelecidos pelo SFDR, que incluem estruturas de gestão sólidas, relações de laborais, remuneração do pessoal e cumprimento das obrigações fiscais ao nível das empresas beneficiárias do investimento.

K. Políticas de Envolvimento

O Fundo

O Fundo não utiliza o envolvimento como meio de alcançar os seus compromissos vinculativos com as características ambientais ou sociais ou com os objetivos de investimento sustentável. O Gestor de Investimentos não tem um envolvimento direto com as empresas/emitentes do índice, mas envolve-se diretamente com os fornecedores do índice e dos dados para assegurar uma melhor análise e estabilidade das medidas ESG.

Geral

Na BlackRock, o envolvimento com as empresas nas quais investimos os ativos dos nossos clientes ocorre a vários níveis.

Quando o envolvimento é especificamente identificado por uma determinada equipa de gestão de carteiras como um dos meios pelos quais procuram demonstrar um compromisso com questões ambientais, sociais e de governação na aceção do SFDR, os métodos através dos quais a eficácia dessa política de envolvimento e as formas como essa política de envolvimento pode ser adaptada no caso de o impacto desejado (geralmente expresso como uma redução dos principais indicadores negativos especificados) não ser alcançado seriam descritos no prospeto e divulgações no website específicos a esse fundo.

Quando as equipas de investimento optam por alavancar o envolvimento, este pode assumir uma variedade de formas mas, essencialmente, a equipa de gestão de carteiras procuraria ter um diálogo regular e contínuo com diretores ou administradores das empresas beneficiárias do investimento envolvidas, a fim de promover uma boa governação e práticas comerciais sustentáveis orientadas para as características ESG e principais indicadores negativos identificados, bem como para compreender a eficácia da gestão e supervisão das atividades da empresa destinadas a abordar as questões em matéria de ESG. O envolvimento também permite à equipa de gestão de carteiras fornecer feedback sobre as práticas e divulgações da empresa.

Quando uma equipa de gestão de carteiras relevante tem preocupações sobre a abordagem de uma empresa às características ESG identificadas e/ou aos principais indicadores negativos, essa equipa pode optar por explicar as suas expectativas ao conselho de administração ou à direção da empresa e pode manifestar através da votação nas assembleias gerais que tem preocupações pendentes, geralmente votando contra a reeleição dos administradores que considera como tendo responsabilidade pela melhoria das características ESG identificadas ou dos principais indicadores negativos.

Independentemente das atividades de qualquer equipa particular de gestão de carteiras, ao mais alto nível, como parte da sua abordagem fiduciária, a BlackRock determinou que é do melhor interesse a longo prazo dos seus clientes promover uma boa governação de uma empresa como um acionista informado e empenhado. Na BlackRock, tal é responsabilidade da BlackRock Investment Stewardship. Principalmente através do trabalho da equipa da BIS, a BlackRock satisfaz os requisitos da Diretiva relativa aos direitos dos acionistas II ("SRD II") relativos ao envolvimento com empresas públicas e outras partes no ecossistema de investimento. Poderá encontrar uma cópia da política de envolvimento SRD II da BlackRock em https://www.blackrock.com/corporate/literature/publication/blk-shareholder-rights-directiveii-engagement-policy-2022.pdf.

A abordagem da BlackRock à gestão do investimento está delineada nos Princípios Globais da BIS e nas diretrizes de votação a nível do mercado. Os Princípios Globais da BIS expõem a nossa filosofia de gestão e as nossas opiniões sobre a governação de uma empresa e práticas comerciais sustentáveis que apoiam a criação de valor a longo prazo pelas empresas. Reconhecemos que as regras e normas aceites de governação de uma empresa diferem consoante os mercados; contudo, acreditamos que existem certos elementos fundamentais da prática de governação que são globalmente intrínsecos à capacidade de uma empresa de criar valor a longo prazo. As nossas diretrizes de votação específicas do mercado fornecem detalhes sobre a forma como a BIS implementa os Princípios Globais – tendo em consideração as regras e normas do mercado local – e informam as nossas decisões de votação em relação aos pontos específicos de votação para as assembleias de acionistas. Poderá consultar a abordagem global da BlackRock à gestão e envolvimento do investimento em: https://www.blackrock.com/uk/professionals/solutions/shareholder-rights-directive e https://www.blackrock.com/corporate/about-us/investment-stewardship

Na execução do seu compromisso, a BIS pode concentrar-se em temas específicos em matéria ESG, que são delineados nas prioridades de votação da BlackRock https://www.blackrock.com/corporate/literature/publication/blk-stewardship-priorities-final.pdf

I. Índice de referência designado

Este Fundo procura alcançar as características ambientais e sociais que promove através da replicação do desempenho do MSCI Europe ESG Enhanced Focus CTB Index, o seu Índice de Referência, que incorpora os critérios de seleção ESG do fornecedor do índice.

Em cada reequilíbrio do índice, o fornecedor do índice aplica critérios de seleção ESG ao Índice Principal para excluir os emitentes que não satisfaçam esses critérios de seleção ESG.

Em cada reequilíbrio do índice (ou assim que possível e praticável), a carteira do Fundo também é reequilibrada de acordo com o seu Índice de Referência.

O Índice de Referência foi identificado pelo fornecedor do índice como um índice de referência da UE para a transição climática (na aceção do Regulamento Índices de Referência) e, por conseguinte, tem de ser construído de acordo com as normas mínimas prescritas pelo Regulamento Índices de Referência. O Índice de Referência seleciona, pondera e, quando aplicável, exclui os emitentes do Índice Principal para se alinharem com os compromissos climáticos estabelecidos no Acordo de Paris.

Os critérios de seleção ESG aplicados pelo fornecedor do índice são estabelecidos acima (consulte a "Secção C - Características ambientais ou sociais do produto financeiro").

Para obter mais informações sobre a metodologia do Índice de Referência do Fundo, copie e cole o seguinte link no seu browser:https://www.msci.com/index/methodology/latest/ESGEnhancedFocusCTB

Também poderá consultar a metodologia do Índice de Referência do Fundo no website do fornecedor do índice em https://www.msci.com/index-methodology

Classificações

Localizações registrados

Localizações registrados

  • Alemanha

  • Dinamarca

  • Espanha

  • Finlândia

  • França

  • Holanda

  • Irlanda

  • Itália

  • Liechtenstein

  • Luxemburgo

  • Noruega

  • Polónia

  • Portugal

  • Reino Unido

  • República Checa

  • Saudi Arabia

  • Slovak Republic

  • Suécia

  • Suíça

  • Áustria

Títulos

Títulos

Ticker Nome Setor Classe de activo Valor de mercado Peso (%) Notional Cotas ISIN Preço Localização Bolsa Divisa
As participações estão sujeitas a alterações

Repartições da Exposição

Repartições da Exposição

a 27 jan 2023

% do Valor de Mercado

a 27 jan 2023

% do Valor de Mercado

A exposição geográfica está essencialmente associada ao domicílio dos emissores dos títulos detidos no produto, somada e expressa em percentagem das participações totais do produto. No entanto, em determinados casos, pode refletir o país em que o emissor dos títulos efetua grande parte da sua actividade.
As participações estão sujeitas a alterações.

Empréstimo de títulos

Empréstimo de títulos

O empréstimo de valores mobiliários é uma atividade bem estabelecida e regulamentada no setor da gestão de investimentos. Envolve a transferência de valores mobiliários (como ações ou obrigações) de um Mutuante (neste caso, o fundo iShares) para um terceiro (o Mutuário). O Mutuário dará garantia ao Mutuante (a garantia do Mutuário) sob a forma de ações, obrigações ou dinheiro, pagando tambem ao Mutuante uma comissão. Esta comissão proporciona um rendimento adicional para o fundo, podendo assim ajudar a reduzir o custo total de propriedade de um ETF.

Na BlackRock, o empréstimo de valores mobiliários é uma função principal de gestão de investimentos com equipas de trading (negociação), investigação e tecnologia.. O programa de empréstimo foi concebido para conseguir rendimentos absolutos superiores para os clientes, ao mesmo tempo que mantém um perfil de baixo risco. Os fundos que participam no empréstimo de valores mobiliários retêm 62,5% do rendimento, enquanto a BlackRock recebe 37,5% do rendimento e cobre todos os custos operacionais resultantes das transações de empréstimo de valores mobiliários.

As Detenções de Garantias, mostradas nesta página, são conseguidas em dias em que o fundo participante no empréstimo de valores mobiliários tem um empréstimo em aberto.

  De
30 set 2017
a
30 set 2018
De
30 set 2018
a
30 set 2019
De
30 set 2019
a
30 set 2020
De
30 set 2020
a
30 set 2021
De
30 set 2021
a
30 set 2022
Rentabilidade de empréstimo de títulos (%) 0,03
Média emprestada (% ativos) 9,67
Máximo emprestado (% ativos) 18,98
Colateralizado (% ativos) 110,20
O rendimento anualizado do empréstimo de valores mobiliários é calculado utilizando a receita líquida do empréstimo de valores mobiliários a 12 meses para o fundo, dividida pela média do NAV do fundo, para o mesmo período. 62,5% de todo o rendimento do empréstimo de valores mobiliários é pago diretamente no fundo, com a BlackRock a receber 37,5% de compensação, que cobre todos os custos operacionais. A política da BlackRock é divulgar a informação sobre o desempenho numa base trimestral sujeita a um mês de atraso. Isto significa que os rendimentos de 01/01/2019 a 31/12/2019 podem ser publicamente divulgados a partir de 01/02/2020.

Máximo do valor do empréstimo pode aumentar ou diminuir ao longo do tempo.

Com o empréstimo de títulos ha a possiblidade de perda caso o mutuario declare falencia antes da devolucao dos titulos. A acrescentar a isto ha tambem a considerar a flutuacao dos mercados financeiros e o facto de o valor da garantia detida por parte do mutuante poder desvalorizar (valer menos) e/ou do valor dos titulus de venda em emprestimo terem aumentado em preco.

a 26 jan 2023
Ticker Nome Classe de activo Peso (%) ISIN SEDOL Bolsa Localização

A informação na tabela de Detenções de Garantias está relacionada com valores mobiliários obtidos com garantias escudadas por programas de empréstimos de valores mobiliários, para o fundo em questão. As informações contidas neste material são derivadas de fontes proprietárias e não proprietárias, consideradas pela BlackRock como sendo fiáveis, não incluem necessariamente todas as situações possíveis e não são garantidas quanto à sua exatidão. A confiança na informação neste material fica ao critério exclusivo do leitor. O risco principal no empréstimo de valores mobiliários assenta na possibilidade do Mutuário não cumprir com o seu compromisso de devolver os valores mobiliários emprestados, enquanto o valor das garantias liquidadas não exceder o custo para reaquisição dos valores mobiliários, sofrendo o fundo uma perda, no que diz respeito ao défice.

A informação na tabela Resumo do Empréstimo não será divulgada em relação aos fundos que participaram no empréstimo de valores mobiliários há menos de 12 meses.

Combinações de Empréstimo/Garantias e Níveis de Garantias**

Tipos de Garantia
Tipo de Empéstimo Ações Obrigações do governo, supranacionais e de agências Liquidez (não para reinvestimento)
Ações 105%-112% 105%-106% 105%-108%
Obrigações governamentais 110%-112% 102.5%-106% 102.5%-105%
Obrigações empresariais 110%-112% 104%-106% 103.5%-105%

Também aceitamos a replicação física selecionada de Ações, Obrigações de Dívida Pública, ETF de Crédito e Mercadorias como garantia.

Os parâmetros da garantia dependem da mesma e da combinação do empréstimo, podendo o nível de cobertura por garantias de valor superior variar de 102,5% a 112%. Neste contexto, a "cobertura por garantias de valor superior" significa que o valor agregado do mercado da garantia contratada excederá o valor global do empréstimo. Os parâmetros da garantia são analisados numa base permanente e estão sujeitos a alterações.
Com o empréstimo de títulos ha a possiblidade de perda caso o mutuario declare falencia antes da devolucao dos titulos. A acrescentar a isto ha tambem a considerar a flutuacao dos mercados financeiros e o facto de o valor da garantia detida por parte do mutuante poder desvalorizar (valer menos) e/ou do valor dos titulus de venda em emprestimo terem aumentado em preco.

Bolsas

Bolsas

Intercâmbio Ticker Divisa base Data de anúncio SEDOL Ticker Bloomberg RIC Bloomberg INAV Reuters INAV ISIN WKN Valoren Common Code (EOC) ISIN do INAV
Xetra EDM6 EUR 18 abr 2019 BHZPJ78 EDM6 GY EDM6.DE - - IE00BHZPJ783 A2PCB5 46193964 - -
Borsa Italiana ESEG EUR 05 mai 2022 BP9NSQ6 - ESEG.MI - - IE00BHZPJ783 A2PCB5 46193964 - -

Literatura

Literatura