Cada fornecedor de índices cria o seu próprio conjunto de requisitos, para definir um universo de índices. Em relação aos ETF de ações, algumas das diferenças-chave entre as metodologias utilizadas para criar índices são: número de componentes, mercado, capitalização, estilo do setor e a composição. Para os ETF de rentabilidade fixa, os fornecedores criam índices baseados em critérios como a qualidade do crédito e a maturidade. Compreender diferenças como estas pode ajudar a garantir que as carteiras contenham os ETF certos para as necessidades de investimento de um cliente.

Em muitos casos, não existe um índice adequado ou inadequado para utilizar. Devem considerar-se cinco critérios:

 

  • Abrangência

    O índice (ou o ETF) reflete com precisão o conjunto de oportunidades de investimento existente? O índice ideal incluiria todos os títulos na sua respetiva classe de ativos. No entanto, torna-se necessário assumir um compromisso entre a diversificação da cobertura do mercado e a capacidade de investimento dos títulos que compõem um índice. No caso dos padrões de referência, que incorporam muitos títulos de liquidez limitada, a otimização pode ser pertinente.

  • Regras do índice

    As regras que regulam os componentes do índice são transparentes e públicas? Regras objetivas permitem aos gestores de fundos preverem, com mais ou menos precisão, que títulos serão adicionados a um índice ou retirados do mesmo, permitindo, desta forma, que o fundo acompanhe com maior precisão o índice.

  • Dados

    Os dados de desempenho do índice são precisos, completos e estão imediatamente disponíveis? O acesso a dados fiáveis permite aos gestores de fundos avaliarem e compararem índices, para um setor de mercado em particular e igualmente entre setores de mercado diferentes.

  • Aceitação pelos investidores

    Os investidores conhecem o índice e sabem como utilizá-lo? Um índice bem conhecido e amplamente utilizado pode servir para estabelecer comparações entre parâmetros semelhantes e pode igualmente facultar critérios de referência fiáveis, para os investidores de longo prazo.

  • Volume de negócios e encargos relacionados

    Qual é o volume de negócios do índice? Os custos de reequilíbrio são adequados ao ETF? Em geral, quanto mais baixo for o volume de negócios, mais baixos são os custos de reequilíbrio para o fornecedor de fundos.

Os indices (ou ETF) bem preparados tendem facilmente a cumprir grande parte, ou até mesmo todos estes critérios.