Lanternas chinesas penduradas no teto.

A China e o mundo

Capital sujeito a risco. O valor e a rentabilidade dos investimentos tanto podem diminuir como aumentar, pelo que não podem beneficiar de qualquer garantia. Os investidores podem não recuperar o montante investido inicialmente.

Historicamente, os investidores fora da China tiveram dificuldades em aceder à gama completa de oportunidades de investimento do país. Mas esta situação está a mudar à medida que os decisores políticos procuram liberalizar os mercados de ações e obrigações chineses para permitir maior acesso aos investimentos chineses onshore.

Risco: os investimentos na China estão sujeitos a determinados riscos adicionais, particularmente no que diz respeito à capacidade de negociar em títulos representativos de capital na China devido a questões relacionadas com a liquidez e o repatriamento de capital. Por conseguinte, o Fundo pode optar por ter exposição indireta às ações chinesas e pode não conseguir ter exposição total aos mercados de ações chineses.

Saber mais

Uma oportunidade de mercado: a China

A China tem os segundos maiores mercados de ações e obrigações.

2 Bloomberg, dezembro de 2020

A China continua a crescer, sendo atualmente a segunda maior economia do mundo prestes a rivalizar com os Estados Unidos. No passado, os investidores fora da China tiveram dificuldades em aceder à gama completa de oportunidades de crescimento do país. Ainda hoje, a participação estrangeira representa apenas 3% dos ativos chineses1. Mas isto está a mudar rapidamente e o custo de ignorar esta oportunidade pode ser muito alto, especialmente a longo prazo.

1 Fonte: Banco Popular da China, março de 2020, inclui os títulos representativos de capital chineses cotados publicamente, denominados em RMB, incorporados na China e a emissão de obrigações onshore, incluindo as dívidas governamentais e empresariais.

O papel da China na sua carteira

Gráfico ilustrativo mostrando como a BlackRock permite aceder a uma gama de oportunidades de investimento em todas as regiões.

Apenas para fins ilustrativos.

É tentador considerar a perspetiva de permanentes tensões e a consequente crescente pressão política local como uma razão para não deter exposição à China nas carteiras. Mas, em termos de investimento, a BlackRock acredita ser uma decisão dispendiosa para os investidores. Apesar dos desafios a curto prazo, a China continuará a tornar-se num motor cada vez mais importante do crescimento global e uma alocação à China é uma oportunidade crucial para a diversificação das carteiras, sobretudo por as economias ocidentais enfrentarem o potencial de um maior papel do Estado na atividade empresarial. Acreditamos que uma alocação inicial neutra aos ativos chineses deve ser muito superior à da maioria dos atuais investidores internacionais.

Risco: a diversificação e a alocação de ativos poderão não o proteger totalmente contra o risco de mercado.

Paragraph-3,Image-3
Paragraph-4,Image-4,Paragraph-5,Image Cta-2,Image-5,Image-6,Image Cta-3,Image-7,Image Cta-4,Image-8

Rendimento fixo na China

Risco: os dois principais riscos relacionados com o investimento em rendimento fixo são o risco de taxa de juro e o risco de crédito. Normalmente, quando as taxas de juro aumentam, verifica-se uma diminuição correspondente no valor de mercado das obrigações. O risco de crédito refere-se à possibilidade de o emitente da obrigação não ser capaz de reembolsar o capital e proceder ao pagamento de juros.

Embora várias reformas, incluindo a introdução do Bond Connect, tenham simplificado o acesso aos mercados obrigacionistas chineses onshore, os investidores estrangeiros continuam a representar apenas uma pequena parte do mercado. O mercado obrigacionista chinês tem o potencial de oferecer maiores rendimentos do que muitas obrigações dos mercados desenvolvidos, proporcionando, ao mesmo tempo, diversificação em todo o espetro de crédito e duração.

Risco: a BlackRock não considerou a adequação deste investimento às suas necessidades individuais e à tolerância ao risco. Para garantir que entende se o nosso produto é adequado, leia o Documento de Informação Fundamental e/ou o Prospeto relevante.

 


 

Como investir em Obrigações Chinesas

China Bond Fund
Um subfundo da BlackRock Global Funds

Gráfico ilustrativo mostrando a composição do mercado chinês.

Apenas para fins ilustrativos.

Fonte: Wind, setembro de 2020

Obrigações dos bancos políticos: totalmente detidas pelo governo central e ao serviço de funções políticas.

Governo local: apenas as regiões administrativas a nível provincial estão autorizadas a emitir.

O BGF China Bond Fund investe na dívida onshore e offshore chinesa através de uma estratégia flexível de alocação de ativos, baseando-se em perspetivas macroeconómicas descendentes e perspetivas de crédito ascendentes. O Fundo investe globalmente pelo menos 70% dos seus ativos totais em títulos de rendimento fixo emitidos ou distribuídos dentro ou fora da República Popular da China (RPC) e denominados em renmimbi ou noutras moedas nacionais não chinesas.

Ações chinesas

À medida que as bolsas de Xangai e Shenzhen se abrem aos investidores estrangeiros, estes veem mais formas de construir uma alocação de capital na China. O leque de classes de ações chinesas, embora frequentemente destacado como um ponto de confusão, também proporciona diversas oportunidades de investimento para os investidores estrangeiros capitalizarem.

Risco: o valor das ações e dos títulos relacionados com ações pode ser afetado pelos movimentos diários do mercado de ações. Outros fatores influentes incluem notícias políticas e económicas, lucros de empresas e eventos empresariais significativos.

Gráfico ilustrativo mostrando o desempenho setorial de referência chinês

Fonte: Bloomberg em dezembro de 2020. Apenas para fins ilustrativos.

Risco: a diversificação e a alocação de ativos poderão não o proteger totalmente contra o risco de mercado.

Crescente ponderação nos índices globais
Melhor acesso através do programa Hong Kong Stock Connect
Exposições complementares entre as listas offshore e onshore

A nossa gama completa de ações chinesas

Risco: a BlackRock não considerou a adequação deste investimento às suas necessidades individuais e à tolerância ao risco. Para garantir que entende se o nosso produto é adequado, leia o Documento de Informação Fundamental e/ou o Prospeto relevante.

 


 

Ampla exposição à China
- Posicionamento diversificado nos mercados de Ações A e offshore

China Fund
Um subfundo da BlackRock Global Funds

Gráfico ilustrativo mostrando a percentagem de Ações A nacionais.

Fonte: BlackRock, setembro de 2020. Sujeito a alterações. Apenas para fins ilustrativos.

O BGF China Fund é uma estratégia de ações fundamental offshore centrada na China com a possibilidade de alocar até 20% às Ações A onshore. O Fundo investe pelo menos 70% dos seus ativos totais em ações de empresas cujo domicílio ou atividade principal se situe na República Popular da China.

China Flexible Equity Fund
Um subfundo da BlackRock Global Funds

Gráfico ilustrativo que mostra a percentagem de exposição on-shore vs. off-shore na referência.

Em comparação com o MSCI China All-Share Index que proporciona uma exposição flexível entre os mercados onshore e offshore

Fonte: MSCI, dezembro de 2020. Sujeito a alterações. Apenas para fins ilustrativos.

O BGF China Flexible Equity Fund tem uma alocação flexível entre os mercados acionistas onshore e offshore chineses, centrada em ideias de alta convicção. O Fundo investe pelo menos 70% dos seus ativos totais em ações de empresas cujo domicílio ou atividade principal se situe na República Popular da China.

Exposição às Ações A nacionais chinesas
- Mercados locais/Alfa não correlacionado

CNYA - iShares MSCI China A UCITS ETF

Gráfico ilustrativo mostrando que o Fundo é constituído a 60% por Ações A no mercado acionista chinês.

Fonte: BlackRock, setembro de 2020. Sujeito a alterações. Apenas para fins ilustrativos.

O iShares MSCI China A ETF visa proporcionar uma exposição ponderada em função da capitalização bolsista às Ações A chinesas negociadas no continente. O ETF proporciona exposição à parte do mercado acionista chinês cotada localmente e destina-se a refletir as Ações A incluídas no MSCI EM Index. As Ações A constituem cerca de 60% das ações chinesas, mas sempre foram amplamente inacessíveis aos investidores internacionais.

Exposição à China offshore

FXC - iShares China Large Cap UCITS ETF

Gráfico ilustrativo mostrando que o Fundo é constituído por 50 das maiores empresas cotadas.

Fonte: BlackRock, setembro de 2020. Sujeito a alterações. Apenas para fins ilustrativos.

O iShares China Large Cap UCITS ETF proporciona exposição a 50 das maiores empresas offshore chinesas cotadas na Bolsa de Valores de Hong Kong. O ETF proporciona exposição a um único país e tem grandes alocações aos setores das instituições financeiras e comunicações.