Skip to content

Métricas de ESG que importam

Jeff Shen, PhD |08 ago 2019

O investimento sustentável está mais popular. Jeff Shen fala com Debbie McCoy, Responsável por Investimentos Sustentáveis das Ações Sistemáticas Ativas da BlackRock, sobre as métricas de ESG mais importantes.

Capital em risco. Todos os investimentos financeiros envolvem um elemento de risco. Por conseguinte, o valor do investimento e o rendimento do mesmo poderão variar e o investimento inicial não pode ser garantido.

Os investidores fizeram hoje do investimento sustentável uma parte fundamental das suas estratégias. No entanto, a sustentabilidade e as considerações ambientais, sociais e de governança (ESG) subjacentes ainda não são claras.

As classificações de ESG da empresa compiladas por fornecedores terceirizados são indicadores úteis para os investidores - mas não são isentas das suas deficiências. Falei com a minha colega Debbie McCoy sobre o trabalho que ela está a desenvolver para entender as pontuações ESG e aprofundar mais um nível em busca de uma vantagem de informação em que alguns podem considerar um campo ainda incipiente.

Jeff: Enquanto gestora ativa, porque são a sustentabilidade e o ESG tão importantes?

 Debbie: As questões de ESG podem ter um impacto relevante e significativo nas empresas, e isso torna-as considerações importantes no nosso processo de investimento.

Os gestores ativos que procuram fornecer resultados de investimento para carteiras de sustentabilidade são responsáveis pelos resultados de sustentabilidade e pelos rendimentos financeiros. Este dever para com os nossos clientes, combinado com uma convicção profunda em ESG e sustentabilidade amplamente, inspirou-nos a querer ir além de uma mentalidade apenas de conformidade para uma mais centrada em resultados.

Jeff: O que significa uma mentalidade apenas
de conformidade?

Debbie: Uma série de fornecedores terceirizados fornece pontuações ou classificações de ESG. Até ao momento, no entanto, as informações usadas para chegar a estas pontuações foram amplamente baseadas em divulgações da empresa. O truque é entender se estas divulgações são simplesmente um exercício de preenchimento de caixas para as empresas - reivindicar conformidade e fornecer resultados numa área de interesse de mercado - ou se realmente visam influenciar os resultados da empresa.

A nossa pesquisa revelou que as empresas com mais políticas ESG não têm necessariamente menos incidentes de controvérsia. Isto pode significar que estas pontuações de terceiros baseadas em informações reportadas pela empresa não fornecem informações suficientes.

Jeff: Empresas com mais políticas ESG podem realmente ser
mais controversas?

Debbie: Podem. O erro que muitos investidores cometem, a nosso ver, é pressupor que a mera existência de uma política é uma coisa boa. Podem creditar as empresas por terem uma política relacionada com ESG, ignorando o desempenho da empresa nestas mesmas dimensões. Na realidade, pode acontecer que empresas com mais políticas estejam num ambiente sensível e/ou tenham sido alvo de controvérsia, o que levou à introdução de políticas ESG adicionais. O resultado: empresas com piores resultados de sustentabilidade podem ter mais políticas ESG. Em última análise, confiar apenas nas pontuações de terceiros pode posicionar uma carteira de investimentos na direção de empresas mais controversas - o oposto do pretendido. 

"O erro que muitos investidores cometem, a nosso ver, é pressupor que a mera existência de uma política é uma coisa boa."

Jeff: Como é abordado
este desafio?

Debbie: Tudo o que consideramos deve ter a capacidade de nos dizer algo sobre o desempenho futuro de uma empresa, e não apenas questões de ESG. A nossa ânsia de medir o que importa leva-nos geralmente a uma visão diferente da do mercado. E se estivermos certos na nossa avaliação, isso pode significar uma fonte potencial de rendimento para os nossos clientes.

As considerações de sustentabilidade fornecem-nos geralmente informações que são críticas e distintas daquelas que tradicionalmente foram estudadas nos mercados. Estas perceções de sustentabilidade podem ser diferenciadas - menos correlacionadas com o que os mercados pretendem entender - e, neste sentido, aditivas às nossas carteiras.

Jeff Shen,
Co-CIO de Ações Ativas e Co-Responsável de Ações Sistemáticas Ativas (SAE) na BlackRock