ESTRATÉGIA DE RENDIMENTO FIXO

O nivelamento que realmente importa

29 ago 2018

A curva de rendimento nivelada dos EUA está no centro das atenções. Terá a curva tendência para inverter - e prenunciar uma recessão como costuma acontecer no passado? Explicamos porque as comparações com episódios anteriores de nivelamento podem ser um caso de comparação desigual. E argumentamos que quando se trata de nivelamento, os investidores estão focados na curva errada: É o nivelamento das expetativas de rendimento entre ativos de baixo e alto risco que realmente importa.

Destaques de rendimento fixo

  • Aconselhamos vivamente a comparar a forma da curva de rendimento do Tesouro dos EUA atual com o passada e a usar a mesma como um sinal de recessão isoladamente. Acreditamos que políticas monetárias ultra-simples pós-crise, um aumento estrutural na aversão ao risco e o esgotamento de obrigações em maturidade no balanço patrimonial da Reserva Federal podem tornar a inclinação da curva de rendimento menos informativa do que foi em termos históricos.
  • Destacamos uma relação histórica simples entre a inclinação da curva de rendimento dos EUA e a "diferença de desemprego" - uma medida do relaxamento do mercado de trabalho. Ambos caíram para mínimos plurianuais, consistentes com o seu comportamento histórico na última fase dos ciclos económicos. Isto defende a construção de resiliência em carteiras.
  • O nivelamento que realmente importa, a nosso ver, é aquele que ocorre na linha do mercado de títulos (SML). Isto mostra a relação risco-rendimento entre ativos. Os rendimentos esperados em ativos de menor risco aumentaram juntamente com as taxas de juros do Fed, reduzindo a necessidade de aumentar o rendimento em setores de maior risco. Isto provocou volatilidade no mercado de rendimento fixo - e sustenta a nossa postura defensiva: uma preferência pelo crédito de curta duração e de maior qualidade dos EUA.

Resumo

O que nos diz o SML estagnante? Os dois SMLs representam os rendimentos do mercado amplo de rendimento fixo, ajustados para risco, para 2012 - diante da campanha de flexibilização quantitativa do Fed - e 2018. A linha de tendência de 2018 (verde) é muito mais plana do que a linha de tendência de 2012 (azul), pois os rendimentos em ativos de menor risco, como os títulos do Tesouro dos EUA, aumentaram significativamente com o aumento das taxas de juros dos EUA. Em alguns casos, a volatilidade dos ativos de maior risco aumentou, enquanto os seus rendimentos caíram (ver obrigações globais ex-EUA). O resultado: Um nivelamento das expetativas de rendimento em todo o espectro de risco significa que os investidores têm hoje muito menos incentivo para aumentar o rendimento. Veja o gráfico O outro tipo de nivelamento.

Linha de mercado de títulos de rendimento fixo 2012 vs. 2018
Jeffrey Rosenberg
Chief Fixed Income Strategist, BlackRock Investment Institute
Jeffrey Rosenberg, Managing Director, is BlackRock's Chief Fixed Income Strategist with responsibilities in developing BlackRock's strategic and tactical views.