PERSPETIVAS GLOBAIS PARA AS AÇÕES

Despesas de capital: o bom, o mau e o duvidoso

02 jul 2018

Verifica-se um forte crescimento dos rendimentos das empresas em todo o mundo, liderado pelos EUA. Com mais aplicações de fluxos de caixa livre, as despesas de capital (capex) estão também a aumentar. Exploramos o que isso pode significar para as ações.

Destaques no mercado das ações

  • As despesas de capital têm historicamente prejudicado os rendimentos das ações a curto prazo. Mas nem todas as despesas de capital são criadas de forma igual. Despesas em novos projetos podem criar a base para crescimento futuro. As despesas de manutenção (do tipo “manter as luzes acesas”) são tipicamente menos gradativas.
  • As despesas de capital estão a crescer globalmente – mas a partir de níveis reduzidos. Isto, combinado com o facto de ser pouco provável que as empresas abandonem a disciplina fiscal, sugere que o risco para as margens e rendimentos das empresas seja mais reduzido do que em ciclos anteriores.
  • Olhos postos na tecnologia, construção e indústria. As empresas de tecnologia poderiam beneficiar com as empresas a aplicarem fluxos de caixa livre para atualizar sistemas e aumentar a eficiência. As mudanças na lei fiscal podem significar uma aceleração dos projetos de construção nos EUA.

Resumo

Os cortes fiscais dos EUA no início de 2018 proporcionaram às empresas um novo incentivo para gastar. A provisão que permite despesas imediatas de despesas de capital elegíveis significa que as empresas dos EUA podem deduzir os seus investimento no ano em vez de serem depreciados ao longo de vários anos. A provisão começará a ser gradual em 2023, e inclui investimento direto de empresas.

As empresas dos EUA não estão a impulsionar as suas despesas de capital à custa de outras atividades. Achamos que os pagamentos de dividendos se mantiveram firmes. E a nossa revisão dos anúncios da empresa mostra que a recompra de ações e fusões e aquisições (M&A), apoiadas pelo repatriamento de dinheiro estrangeiro, estão a caminho de exceder 800 mil milhões USD e 900 mil milhões USD, respetivamente, em 2018. Ver o gráfico de despesas de caixa. Estes são os níveis mais elevados registados. As despesas jurídicas após impostos têm sido amplas: A nosso ver é de esperar que as despesas de capital e M&A aumentem em oito setores e partilhem recompras em seis. Em 2018, três setores - tecnologia, energia e mercado imobiliário - estão a acompanhar as despesas nas três áreas, por comparação com 2017.

A abordagem prudente e equilibrada das empresas na aplicação dos seus ganhos fiscais inesperados, a par de um crescimento de ganhos sem igual, reforça a nossa preferência por ações dos EUA em relação a outras ações de mercados desenvolvidos.

Aplicações de caixa de empresas S&P 500, 2000-2018
Kate Moore
Chief Equity Strategist
Kate Moore, Managing Director, is Chief Equity Strategist for BlackRock and a member of the BlackRock Investment Institute.