PERSPETIVAS GLOBAIS PARA AS AÇÕES

Cuidado com o comprador: Compre ações dos consumidores

14 set 2018

A confiança dos consumidores está a aumentar nos EUA e na Europa. Boas notícias para as ações dos consumidores? Não inteiramente. Exploramos as variáveis que estão a atrapalhar os setores dos consumidores, apresentando desafios - e oportunidades - para os investidores.

Destaques no mercado das ações

  • Vencedores e perdedores. Observamos uma melhor perspetiva para ações discricionárias dos consumidores versus produtos básicos. A primeira classifica-se entre os setores com melhor desempenho globalmente este ano, enquanto a segunda se aproxima do fundo mesmo depois do desempenho superior recente.
  • Uma nova defesa. Os produtos básicos já não são baluartes de crescimento constante, fluxo de caixa forte e dividendos altos. Os modelos de negócios são desafiados a evoluir diante de alterações nas preferências dos consumidores e da erosão da marca. A defesa hoje pode vir de fontes menos prováveis, particularmente se o aperto na política monetária ocorrer como previsto.
  • Os MEs detêm a chave. Populações em crescimento e uma classe média em ascensão nos mercados emergentes (MEs) traduziram-se num aumento na procura por empresas de consumidores dos EUA e da Europa. No entanto, os intervenientes de MEs domésticos estão a tornar-se concorrentes.

Resumo

Os consumidores de todo o mundo estão a sentir-se cada vez mais otimistas em relação às perspetivas económicas. O sentimento do consumidor americano, avaliado pelos Inquéritos aos Consumidores da Universidade de Michigan, subiu para os níveis mais altos desde a crise financeira global em todos os grupos de rendimento. A confiança do consumidor europeu superou os níveis anteriores à crise e está próximo do seu nível mais alto desde 2000, de acordo com dados da Comissão Europeia.

Os crescentes rendimentos disponíveis são um fator-chave. O crescimento do rendimentos disponíveis nos EUA está em cerca de 5% em relação à média de 4,4% desde 2000. Na Europa, os rendimentos disponíveis acima de 3% superam a média pós-2000. O Japão é um caso atípico. Veja o gráfico Bolsos mais fundos abaixo. Na China, o Departamento Nacional de Estatísticas relata que o rendimento familiar vem crescendo a uma taxa mais rápida do que o PIB à medida que o país passa gradualmente para uma economia impulsionada pelo consumidor.

O aumento da confiança na economia e a disposição de gastar, combinadas com o rendimento crescente, oferecem uma ampla pista para o consumo global. Isto é particularmente verdadeiro nos MEs, onde uma classe média crescente está a desenvolver o apetite - e os meios - para gastar. No entanto, o cenário aparentemente brilhante apresenta também novas complexidades para as empresas de consumidores, e isto está a mudar a oportunidade definida para os investidores.

Crescimento do rendimento disponível nos principais DM, 2000 - 2017
Kate Moore
Chief Equity Strategist
Kate Moore, Managing Director, is Chief Equity Strategist for BlackRock and a member of the BlackRock Investment Institute.