Skip to content
GLOBAL INSURANCE REPORT 2019

Resultados para a América Latina

BlackRock |20 set 2019

As intenções de alocação refletem forte sentimento positivo e apetite por risco

O 8º Global Insurance Report da BlackRock contém respostas de 30 executivos sêniores sediados na América Latina sobre tópicos-chave no mercado de seguros. Use as guias abaixo para navegar pelos nossos temas.

Construtivo sobre o ciclo

As seguradoras globais são amplamente positivas no atual ambiente de investimentos, mas com um certo grau de cautela. Em nível regional, porém, vemos nuances importantes.

As perspectivas positivas das seguradoras sediadas na América Latina são de certa forma equilibradas por suas preocupações em relação à volatilidade dos preços dos ativos e, em menor grau, pelo risco de juros. Em consonância com suas homólogas europeias, elas veem o risco ambiental como um importante motor de mudança, em terceiro lugar, depois do risco tecnológico e do risco do mercado financeiro.

Como você descreveria suas perspectivas atuais?

Respostas latino-americanas descrevendo as perspectivas atuais.

Fonte: Global Insurance Report da BlackRock, julho e agosto de 2019. Respostas de 30 participantes da América Latina.

Na sua opinião, quais são os principais riscos de mercado e riscos macroeconômicos para a estratégia de investimentos da sua empresa nos próximos 12 a 24 meses?

Respostas latino-americanas delineando os principais riscos de mercado e macroeconômicos.

Fonte: Global Insurance Report da BlackRock, julho e agosto de 2019. Respostas de 30 participantes da América Latina. Observação: Os números podem não somar 100 devido ao arredondamento.

Busca por resiliência de portfólio

As seguradoras globais ainda mantêm ou estendem as exposições ao risco, porém são mais cautelosas em comparação com 2018. Em nível regional, porém, vemos nuances importantes.

Há uma forte intenção de aumentar a exposição ao risco entre as seguradoras latino-americanas – a maior de todas as regiões. Constatamos que este fato, juntamente com renda fixa, se traduz num forte foco em mercados privados, sendo as principais áreas de atuação os ativos imobiliários de private equity e imobiliários.

Nos próximos 12 a 24 meses, como você espera que mude o apetite da sua empresa pelo risco de investimento?

Respostas latino-americanas para mudanças no risco de investimento.

Fonte: Global Insurance Report da BlackRock, julho e agosto de 2019. Respostas de 30 participantes da América Latina.

Nos próximos 12 a 24 meses, como você prevê alterar as suas alocações para cada uma das seguintes classes de ativos?

Respostas latino-americanas em relação à alocação de ativos.

Fonte: Global Insurance Report da BlackRock, julho e agosto de 2019. Respostas de 30 participantes da América Latina. O eixo Y mostra como o % de entrevistados na amostra de respostas aumenta ou diminui. Observação: Os números, incluindo os percentuais líquidos, podem não totalizar 100 devido ao arredondamento.

Otimização da renda fixa

Globalmente, vemos intenções de alocação de ativos para renda fixa que estão amplamente em linha com o ano passado, favorecendo debêntures com grau de investimento, seguidos por títulos ESG e ativos securitizados.

As empresas ESG e com grau de investimento se destacam como fortes favoritas para a alocação de capital pretendida. As visões sobre a dívida de mercados emergentes entre seguradoras sediadas na América Latina estão divididas, com quase o mesmo número de seguradoras reduzindo e aumentando suas alocações. Em geral, as seguradoras latino-americanas favorecem exposições a risco mais elevadas e acreditam que se possa superar o mercado adicionalmente a partir de mercados de renda fixa, de forma semelhante às suas homólogas norte-americanas.

Nos próximos 12 a 24 meses, como você prevê alterar as suas alocações para cada uma das seguintes classes de ativos?

Respostas latino-americanas em relação à alocação de ativos.

Fonte: Global Insurance Report da BlackRock, julho e agosto de 2019. Respostas de 30 participantes da América Latina. O eixo Y mostra como o % de entrevistados na amostra de respostas aumenta ou diminui. Observação: Os números podem não somar 100 devido ao arredondamento.

Qual você acredita ser a melhor maneira de superar o mercado adicionalmente?

Respostas latino-americanas sobre superar o mercado adicionalmente.

Fonte: Global Insurance Report da BlackRock, julho e agosto de 2019. Respostas de 30 participantes da América Latina. Observação: Os números podem não somar 100 devido ao arredondamento.

Integração de mercados privados

Seguradoras de todas as regiões e linhas de negócios procuram reforçar a sua exposição aos mercados privados, com um aumento médio previsto de 2% nos próximos três anos. Em termos de alocações de classes de ativos, vemos diferentes prioridades regionais.

As seguradoras sediadas na América Latina terão a maior proporção de exposições no mercado privado acima de 10% até 2022 se mantiverem suas intenções atuais de alocação de ativos. O private equity é, de longe, o principal destino, e a eficiência do capital é citada como o principal impulsionador desses aumentos de alocação pretendidos.

Qual é o percentual atual e esperado do seu portfólio global o aos mercados privados, de agora até 2022?

Respostas latino-americanas para alocação de ativos em ativos do mercado privado.

Fonte: Global Insurance Report da BlackRock, julho e agosto de 2019. Respostas de 30 participantes da América Latina. Observação: Os números podem não somar 100 devido ao arredondamento.

Quais são os quatro principais fatores que impulsionarão e limitarão as alocações no mercado privado nos próximos 12 a 24 meses?

Respostas latino-americanas para fatores e barreiras que impulsionam a alocação em mercados privados.

Fonte: Global Insurance Report da BlackRock, julho e agosto de 2019. Respostas de 30 participantes da América Latina.