INSTRUÇÕES DE INVESTIMENTO

Frutos de estação

29 mai 2018
por Christopher Dhanraj

A estação das cores?

As condições econômicas que sustentaram os mercados ao longo do ano passado continuam florescendo, mas neste ano diversos fatores já pesaram sobre o sentimento do investidor. As preocupações com os aumentos das taxas de juros, as avaliações de ações (apesar dos ganhos sólidos), os possíveis distúrbios comerciais e as novas regulamentações da área de tecnologia levaram a uma maior volatilidade em 2018. Ainda assim, existem oportunidades neste mercado para quem tiver foco e disciplina.

Desacelere ao longo da estrada

O Federal Reserve (Fed) vem mantendo a estratégia de elevação das taxas de juros neste ano. Contudo, apesar de as condições financeiras estarem moderadamente rígidas, elas permanecem um pouco flexíveis, pelo menos segundo os padrões históricos. Neste ambiente, o setor financeiro deve ser monitorado com atenção especial. As perspectivas podem ser favoráveis se a curva de rendimento, que tem perdido inclinação desde o início do ano, ganhar inclinação.

O melhor ataque é a defesa

A volatilidade continua subindo. Porém, nesta época de aumento de taxas, está mudando a percepção do que constitui uma proteção eficiente de portfólio. Em vez de “bond proxies” de altos dividendos, que podem fazer mais mal do que bem em uma época de taxas mais elevadas e inflação nos EUA, defendemos uma alocação em empresas de alta qualidade.

Mercados emergentes: Atualização sobre a inclusão de ações do tipo “A” da China

Neste mês de junho, haverá uma novidade importante no mercado: o MSCI começará a incluir em seus principais índices as ações chinesas do tipo “A” negociadas na bolsa de Xangai, ampliando a importância da China nos principais benchmarks. As perspectivas econômicas e de reformas nos geram uma visão positiva sobre as ações chinesas, mas a novidade do MSCI tem implicações importantes para os investidores e sua perspectiva em relação a mercados emergentes.

Oportunidades em títulos com grau de investimento

Mesmo com posição underweight em renda fixa e neutra em títulos com grau de investimento dentro da classe de ativo, os spreads aumentaram, e os níveis atuais apresentam valor razoável em uma perspectiva geral de diversificação de portfólio. Recomendamos oportunidades em notas com taxas flutuantes, exposição a renda fixa de curto vencimento ou posições com hedging de taxas de juros.

O crescimento das commodities

As commodities começaram o ano com tudo, superando o Índice S&P 500 em cerca de 10%1. A esta altura, as ações de energia podem ter mais espaço para avançar do que as commodities em curto prazo, mas os investidores que desejam diversificar seu risco ou se proteger contra a inflação podem cogitar a exposição a commodities.

Faça o download do relatório