BLACKROCK GLOBAL INSURANCE REPORT 2018

À procura de melhores retornos

29 nov 2018
por BlackRock

Em sua sétima edição, o BlackRock Global Insurance Report 2018 resume as principais conclusões obtidas após pesquisa com 372 executivos seniores do setor de seguros e resseguros em 27 países. Os resultados da pesquisa realizada em nosso nome pela Economist Intelligence Unit de julho a agosto de 2018 são complementados por 12 entrevistas detalhadas com importantes investidores do mercado de seguros. Além de avaliar as tendências do sentimento do investidor e as perspectivas da estratégia de investimento, o relatório aborda como as seguradoras estão cada vez mais direcionadas a considerações ambientais, sociais e de governança (Environmental, Social and Governance, ESG).

Ideias-chave

Seguradoras em todo o mundo consideram o aumento do retorno sobre o investimento uma ferramenta fundamental para elevar a lucratividade dos negócios como um todo. Identificada pela primeira vez no ano passado, essa tendência agora é acompanhada por uma mudança acentuada na disposição das seguradoras para assumir riscos. Dado o tamanho dos portfólios de investimentos de seguradoras em todo o mundo, esta é uma mudança importante que afetará todos os mercados.

Maior apetite para exposição aos riscos
Quase metade das seguradoras pesquisadas planeja aumentar a exposição do seu portfólio aos riscos nos próximos dois anos, e em praticamente todas as classes de ativos, com os mercados privados cada vez mais popularizados.

Esta nova demanda por risco é vista em todas as regiões, exceto na América Latina, que continua relativamente cautelosa em comparação com a América do Norte, a Europa e a APAC (Ásia e Pacífico). Pelo segundo ano consecutivo, a maior parte das seguradoras da América Latina pretende manter a exposição atual (2018: 83%, 2017: 97%).

Menor preocupação com os riscos macro e de mercado
Acontecimentos geopolíticos e mudanças na regulamentação como riscos se reduziram neste ano, e as seguradoras estão levando em conta uma gama mais ampla de fatores. As preocupações com riscos ambientais foram as que mais cresceram.

Na América Latina, o risco de mercado mais grave é a transformação das taxas de juros, que subiram para 70% (de 37% em 2017). Quanto aos riscos macro, 53% consideram que o mais grave é o risco regulatório.

Aumento da importância de ESG
As entrevistas e os resultados da pesquisa destacam que ESG está rapidamente subindo na lista de prioridades das seguradoras. Por exemplo, 83% veem uma política de investimento em ESG como muito ou extremamente importante.

Na América Latina, 50% das seguradoras acreditam na importância de uma política de investimento em ESG, e 20% acreditam que é extremamente importante. Mais da metade (57%) das seguradoras na América Latina pretendem implementar processos de “avoidance screening” para fugir de segmentos indesejáveis, uma proporção muito maior do que em outras regiões.

Busca contínua por eficiência de investimento
Vemos uma movimentação contínua em prol de uma maior eficiência de investimento, com 98% terceirizando algumas ou todas as suas alocações. Nossas entrevistas sugerem que também há seguradoras preocupadas com a otimização de seus portfólios como um todo.

Na América Latina (80%), as seguradoras são mais propensas a terceirizar com a finalidade de reduzir custos.

Faça o download do material

Fonte: A sétima edição do BlackRock Global Insurance Report resume os resultados da pesquisa on-line e por telefone realizada pela Economist Intelligence Unit em nosso nome entre julho e agosto de 2018. Ela reflete as respostas de 372 executivos seniores da indústria de seguros e resseguros em 27 paises, representando USD $7,8 trilhões em ativos sob administração, com alta representação da Ásia-Pacífico, EMEA, América Latina e América do Norte. Essas respostas foram complementadas com insights obtidos por meio de entrevistas telefônicas detalhadas com 12 executivos seniores do setor.