PERSPECTIVAS MACROECONÔMICAS E DE MERCADO

Desacelerando – mas ainda crescendo

28 jan 2019
por BlackRock Investment Institute

Com a fase de expansão entrando em sua reta final, observamos um desaquecimento do crescimento global. A desaceleração chega no momento em que a economia dos EUA se torna um obstáculo em vez de um condutor. É motivada por uma elevada incerteza em torno de políticas públicas, pela rivalidade tecnológica entre os EUA e a China e por condições financeiras mais rígidas. Houve um recuo das atividades comerciais, do sentimento do setor empresarial e de planos de investimento. O enfraquecido impulso fiscal dos EUA será provavelmente compensado por estímulos maiores na China e na Europa. Na nossa opinião, um crescimento mais lento e uma inflação modesta permitem que os bancos centrais façam uma pausa na normalização política. O risco de uma recessão nos EUA permanece limitado, mas aumenta ao longo do tempo. Acreditamos que os mercados financeiros estão sendo excessivamente pessimistas, tendo já colocado nos preços a maior parte desse risco de queda.

Destaques

  • Temores de recessão são exagerados na nossa opinião. As vulnerabilidades financeiras são baixas, e grandes bancos centrais não precisam responder agressivamente a pressões inflacionárias. Isso lhes confere flexibilidade para manter condições monetárias facilitadas.
  • O impulso do estímulo fiscal dos EUA está diminuindo, mas as medidas de estímulos estão se reforçando na China e na Europa. Historicamente, taxas de juros baixas no longo prazo permitem que os governos expandam os empréstimos. No entanto, um estímulo neste momento pode ser menos eficaz para gerar demanda.
  • Na nossa opinião, um crescimento mais lento, uma inflação modesta e condições financeiras mais rígidas provavelmente persuadirão o Federal Reserve a evitar novos aumentos da taxa de juros até o segundo semestre do ano. Vemos o Banco Central Europeu aguardando para promover um primeiro aumento das taxas até 2020 e acreditamos que os formuladores de políticas da China aliviarão as condições financeiras de diversas maneiras.
  • Entre os riscos ao crescimento, estão condições financeiras mais rígidas e o aumento das vulnerabilidades financeiras, aumentando a chance de uma recessão nos EUA. A China pode ter dificuldades para compensar as consequências econômicas da guerra comercial, enquanto a Europa está vulnerável a interrupções no comércio global e a mais um recrudescimento da crise na zona do euro.

Instantâneo

A provável desaceleração dos EUA em 2019 vem no contexto de uma economia em transição para uma fase final do ciclo de negócios, a última fase antes de uma recessão. Mas acreditamos que os riscos de recessão em 2019 são limitados. A próxima recessão pode ainda estar a anos de distância – mas talvez apenas alguns, não muitos. Observe a faixa laranja no gráfico abaixo. Chegamos à nossa avaliação da posição da economia dos EUA no ciclo de negócios por meio de uma técnica estatística conhecida como análise de cluster.

Fases do ciclo de negócios dos EUA, de 1965 a 2019
Philipp Hildebrand
Vice Chairman, BlackRock
Jean Boivin
Head global de pesquisa, BlackRock Investment Institute
Jean Boivin, PhD, Managing Director, is Global Head of Research for the Blackrock Investment Institute and is a member of the EMEA Executive Committee.   His ...
Elga Bartsch
Head de pesquisa econômica e de mercado, BlackRock Investment Institute
Elga Bartsch, Diretora Executiva, é responsável pelo departamento de pesquisa econômica e de mercado do BlackRock Investment Institute (BII). O BII conecta os ...