PERSPECTIVAS DE AÇÕES GLOBAIS

Ações de defesa

17 abr 2018
por Kate Moore, Yanni Angelakos

Com alto rendimento, os papéis chamados de "bond proxies", que são ações cujas características se assemelham a títulos de dívida, ganharam fama de porto seguro em um momento em que os rendimentos dessas obrigações demoravam a voltar aos níveis pré-crise. Analisamos qual pode ser a melhor defesa no mercado de ações agora que as taxas de juros finalmente começaram a subir.

Destaques de ações

  • Ações tradicionais de altos dividendos não são uma boa ideia em um ambiente de taxas mais elevadas e inflação. Elas estão abaixo dos índices mais amplos no acumulado do ano e são vulneráveis a variações das taxas de juros. As estratégias de volatilidade mínima sofreram um destino semelhante, sugerindo que uma boa defesa precisa de vários componentes.
  • É importante saber a razão da elevação das taxas. Alguns setores se saem melhor com uma postura defensiva dependendo do ímpeto de elevação das taxas. Quando os rendimentos sobem mais rápido do que as expectativas de inflação, como ocorre hoje em dia, quem pode liderar são os setores cíclicos (ou seja, que não são defensivos) e sensíveis a variações das taxas. Os bancos dos EUA, especificamente, estão bem posicionados.
  • Acreditamos que uma postura defensiva no mercado de ações hoje em dia não se baseia tanto em alto rendimento, mas na qualidade e na capacidade de superar a inflação. Empresas com fluxo de caixa livre para aumentar os dividendos também tendem a apresentar avaliações atraentes em comparação com papéis de alto rendimento e alta procura.

Instantâneo

Bond proxies de alto rendimento não ofereceram proteção contra queda durante a queda do mercado de ações em fevereiro. Tal função havia sido bem cumprida anteriormente em drawdowns causados por deterioração econômica e outros períodos de aversão ao risco. Mas a fuga mais recente ocorreu em meio a uma expansão global consistente. Por um lado, investidores deixaram certas estratégias por apostarem na baixa volatilidade. Por outro lado, o ímpeto foi o medo do aumento das taxas e da inflação.

Acreditamos que um crescimento saudável serve de base sólida para ações, mas essa experiência faz com que valha a pena avaliar bem se bond proxies podem oferecer a mesma proteção contra queda que ofereciam anteriormente. Pela primeira vez em quase dez anos, eles podem até mesmo enfrentar concorrência dos próprios papéis dos quais são considerados substitutos.

Analisamos o desempenho setorial do S&P 500 de 2000 até os dias atuais para isolar as vulnerabilidades. As conclusões: setores defensivos tradicionais, como serviços públicos, telecomunicações, imóveis e bens de consumo, proporcionaram uma proteção mínima quando os rendimentos nominais subiram mais. A nossa análise revela que essa relação também vale fora dos EUA. Veja abaixo o gráfico Ações defensivas para rendimentos altos.

Desempenho setorial com a elevação dos desempenhos nominais, 2000-2018
Kate Moore
Chief Equity Strategist
Kate Moore, Managing Director, is Chief Equity Strategist for BlackRock and a member of the BlackRock Investment Institute.